OUTROS

Eu não esperava...

Mônica Nascimento
Author
Mônica Nascimento

Hoje em dia, o abuso contra a mulher são mais frequentes. A cada 5 minutos, uma mulher é abusada ou agredida, fisicamente ou psicologicamente. Muitas questões são discutidas por mulheres e homens, o terrível delas, é que a própria mulher culpa a pessoa que sofreu o abuso, de vez defender, faz o contrário, coloca a culpa na vítima.

Eu não esperava...

Mulher tem que ser respeitada, não importa a sua maneira de vestir, de agir, ou de ter tantos romances, não importa, o respeito tem que ser fundamental.
Hoje vou contar uma historia, de uma menina que teve a sua vida roubada, mas com fé e determinação, superou e vive feliz hoje em dia.
"Meu nome é clara, moro em minas gerais, na cidade de belo horizonte. Sou uma vítima de abuso sexual, tenho 30 anos, e sou mãe de dois filhos. Sou muito feliz com a minha vida agora, mas antes tive uma vida conturbada. A minha mãe teve eu muito nova, e o meu pai nos abandonou, a vida foi difícil para a minha mãe, mas ela teve ajuda da familia, porque se tornou mãe solteira. Quando fiz 2 anos de idade, a minha mãe, voltou se relacionar de novo, o homem parecia simpático, trabalhador de coração nobre, estava tudo numa maravilha, as minhas tias falavam para mim como ele era bom, porque eu tinha dois anos e não lembro disso. Com o passar do tempo, a minha mãe engravidou, e assim, a minha mãe e marcos( é o nome do cara que a minha mãe tava se relacionando) decidiram morar juntos. Foi uma alegria imensa, depois de casada, a minha mae teve mais 3 filhos, e assim se tornamos uma familia feliz. Passando os anos, eu estava crescendo, e já era uma adolescente, quando fiz 15 anos, como nós éramos pobres, a minha mãe fez só um bolinho e chamou meus primos e primas para o bolo. A festa foi legal, não foi uma festa, só um bolo, mas considerei uma festa, naquele dia, a minha mãe ficou um tempo na casa das minhas tias depois da festa, porque estava limpando tudo para ir embora, eu voltei com o marcos, meus irmãos ficaram esperando a minha mãe. Quando cheguei em casa, o marcos disse, tenho um presente para você, eu fiquei feliz, e disse me mostra então, e ele simplesmente começou tirar a minha roupa, eu disse para marcos, ele dizia que ele sabia que eu queria, como ele era mais forte do que eu,fiquei sem reação, e esperei que acabasse. Foi horrível, me machucou muito, e depois ele deu banho em mim e colocou a roupa e disse, se você contar para a sua mãe, eu te mato. Eu esperei a minha mãe chegar e disse tudo para ela, mas o marcos disse que me pegou com um menino dentro de casa, e disse que eu falei para ele não contar para a minha mãe, se não iria dizer que fui abusada. Como marcos sempre foi bom para a minha, ela simplesmente não acreditou em mim, simplesmente fechou os olhos para a situação. Eu sofri muito com isso, poxa, ela é minha mãe, deveria acreditar em mim. Quando fiz 18 anos engravidei do meu namorado e fui morar junto com ele, os primeiros 2 anos foi os meus melhores, mas eu comecei a dá problema, usei drogas, e me envolvi com um traficante, sim, trai o meu marido, o pai do meu filho. Separei do pai do meu filho, e comecei a ter uma relação com o traficante, se chamava erik, o jeito dele de ver a vida na loucura, me cativou muito, o perigo era um vício. Eu já usei muita droga pesada, até roubava para comprar a droga, o erik não deixava eu consumir a droga dele, porque era do trabalho dele, e só pagando para usar. Meu filho mora com o pai, e toda vez que visitava ele, ele sempre me perguntava porque estava tão magra, porque não estava bonita como antes, isso me matava, mas a droga me ajudava a esquecer, que o meu filho não me vê como antes, a sua mãe protetora e sempre arrumada, Se passou meses, e eu estava piorando.
A minha mãe viu que tinha me afundado em um poço sem fundo, e um dia veio até a mim e me pediu perdão, por ela não acreditar na sua própria filha, isso me mudou, eu perdoei a minha mãe, e com ajuda dela e da minha familia, que me amam muito, sai das drogas, entrei na igreja e ajudei o erik sair da vida de crimes. Não foi fácil, porque o grupo que ele pertencia era o mais perigoso do estado de minas, mas deus sempre abre as portas para o seus filhos, e ele conseguiu larga o crime. Me casei de novo, mas só que na igreja, e tive outro filho, é uma menina, se chama Elisa, e hoje ela tem 4 anos e o meu filho que eu não disse o nome, mas é Henrique, tem 12 agora, está um homenzinho, e eu sou mais presente na vida dele. Sobre toda a minha história, eu sei que não pode desacreditar de um filho, sempre temos que ficar atentos, e também que as pessoas podem mudar, basta querer."