Filhas de Vênus
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Filhas de Vênus
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Filhas de Vênus
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Like a Virgin: hímens fake são sucesso de venda na Dinamarca

PrincessButtercup
há 9 meses4.3k visualizações

É mais um caso de como a globalização afeta o mercado de um país. Com o crescimento da população muçulmana na Dinamarca, aumento surpreendentemente a demanda por hímens fake.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Like a Virgin: hímens fake são sucesso de venda na Dinamarca

Só em 2016, mais de 500 itens do gênero foram vendidos na Dinamarca. Nos últimos cinco anos, o número chega a 2.670. As estatísticas foram compiladas pelos fabricantes Hymenshop e Virginia Care, segundo a emissora dinamarquesa Radio24syv.

A relação entre a procura por hímens falsos e o aumento da população muçulmana se explica porque o islamismo exige que moças se casem virgens. Hímens fake têm como objetivo fazer a mulher “sangrar” como uma virgem na noite de núpcias. 

Um hímen falso nada mais é do que uma membrana contendo sangue de boi ou tinta de cor vermelha. Ele deve ser inserido na vagina meia hora antes do ato sexual. Durante o sexo, a membrana acaba sendo perfurada, soltando o sangue.

A fabricante alemã Virginia Care informa que a demanda aumentou no mundo inteiro e diz que, além do motivo religioso, existe o preconceito. Muitas mulheres acreditam que estariam desonrando a família têm medo de perder o noivo. Por isso, apelam para o hímen fake, que é mais barato do que uma cirurgia para restauram o hímen original.

Um hímen fake custa entre US$ 60 e 90. 

#BlackMirror: 4 fotos lindas contra o racismo

PrincessButtercup
há 10 meses3.0k visualizações

É #BlackMirror, mas não é a série de TV. A hashtag foi criada por uma jovem da Libéria chamada Deddeh Howard. Ela é modelo e criou uma campanha online para ressaltar a beleza negra e a ausência de diversidade no mundo da publicidade. É daí que vem “espelho negro” - #BlackMirror.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
#BlackMirror: 4 fotos lindas contra o racismo

Funciona assim: ela vê um ensaio publicitário usando uma modelo branca e faz uma foto de si mesma numa pose igual. Aí junta com a imagem original para fazer o contraste. Segundo Deddeh, as duas imagens juntas mostram que todos têm lugar, que todos pertencem e devem ser vistos. 

Além de ressaltar a beleza negra, a campanha da modelo liberiana provoca reflexão sobre os padrões estéticos adotados pela indústria da moda. Dededh afirma que a moda não é branca nem negra, e que o mesmo vale para a vida. 

A maioria das fotos publicadas por Deddeh traz uma mensagem de motivação. Em uma de suas publicações mais populares, ela conta como crescer na África permitiu que ela visse o mundo sem distinções entre branco e preto.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
PrincessButtercup
Equipe Storia Brasil