CIDADES

Crivella corta 50% da verba do Carnaval, e escolas do Rio suspendem desfiles

Sheila Vieira
Author
Sheila Vieira
Crivella corta 50% da verba do Carnaval, e escolas do Rio suspendem desfiles

A guerra fria entre Marcelo Crivella e as escolas de samba do Rio de Janeiro chegou ao ápice. Após o anúncio do prefeito de corte de 50% da verba pública para as agremiações, elas decidiram suspender os desfiles de 2018.

Neste ano, as escolas receberam R$ 24 milhões de repasse, verba que Crivella quer diminuir pela metade e aplicar na rede carioca de creches. Já a liga das escolas ressalta o retorno econômico que o Carnaval dá ao Rio de Janeiro, criando empregos e incentivando o turismo.

Desde que assumiu a prefeitura, Crivella demonstrou pouca boa vontade com o Carnaval carioca, atitude nada surpreendente de um político com ligações fortíssimas com a Igreja Universal. O prefeito foi o primeiro a ignorar completamente os desfiles e disse que comparecer à Sapucaí seria "demagogia".

Essa postura faz com que os entusiastas do Carnaval vejam as restrições financeiras de Crivella mais como uma reação de cunho religioso a uma festa "pagã" do que verdadeira preocupação com as contas da cidade.

Sejam quais forem as intenções de Crivella, o fato é que o cabo de guerra entre o prefeito e a Liga das Escolas de Samba do Rio não deve terminar tão cedo. A opção por redirecionar a verba para a educação pode ajudar o prefeito a ter apoio da população, mas em algum momento o dinheiro vai falar novamente. Ou Crivella terá que inventar uma nova festa anual que movimente bilhões de reais.