Moda, comportamento e tendências
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Moda, comportamento e tendências
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Moda, comportamento e tendências
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

O futuro da moda e os wearables

Você já deve ter ouvido falar em wearables, eles ficaram famosos desde 2012, principalmente, depois de dispositivos como o Google Glass. Essas tecnologias conhecidas como “vestíveis” impactaram o mundo da moda em sua essência. O que caracteriza um wearable é o uso sem necessidade de manuseio, eles estão sempre disponíveis (conectados), têm capacidade de processamento, de "vestir" (estar com o usuário o tempo todo) e de interação com o ambiente e com outros gadgets. Por isso o seu celular não pode ser considerado um wearable, por exemplo.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
O futuro da moda e os wearables

Pensar no tema moda e futuro sempre nos remete às roupas espaciais e cenários brancos, minimalistas e cheio de telas. Nosso futuro já está aí, e não é nem parecido com o que eram os Jetsons, nem esse minimalismo todo. Essa tecnologia muda todo o sistema da moda, desde sua concepção, produção e sentido é muito mais do que uma mudança de estética ou funcionalidade apenas.

Segundo o site Moda e Tecnologia: a “máquina” não é mais a nossa inimiga e agora anda de mãos dadas com os artesãos dos finos ateliês parisienses de alta-costura. O tema da atual mostra do Costume Institute do Metropolitan Museum of Art de Nova York (MET) – considerada uma das mais importantes para a moda – celebra o trabalho mútuo exercido pelas mãos dos homens e pelas tecnologias aplicadas à moda, desde a invenção da máquina de costura.

Essas tecnologias, além de modificarem nosso cotidiano com facilidades que vão do entretenimento à saúde, aprendem com nossos hábitos aquilo que mais gostamos e aprendem sobre as nossas necessidades. Isso por um lado pode ser assustador, afinal, além de sermos vigiados o tempo todo, agora estamos conectados o tempo todo.

O projeto Jacquard, lançado pelo Google em parceria com a Levi's, nos faz entender melhor o que já deixou de ser futuro e começa a ser realidade. O wearable tech jeans trata-se de uma tecnologia que possibilita a integração de sistemas interativos de gestos e toques em qualquer tipo de tecido, usando teares industriais.

O futuro da moda e os wearables

Objetos, roupas, móveis, enfim, qualquer tipo de superfície que tenha tecido pode agora ser transformada num dispositivo interativo. Nesse caso os fios do jeans são condutivos e assim permitem que uma jaqueta realize sinapses eletrônicas inteligentes. A estrutura do fio do Jacquard possui uma combinação de estruturas metálicas finíssimas com fibras naturais ou sintéticas, como algodão, poliéster ou seda, proporcionando tenacidade suficiente para que o fio possa ser tecido em qualquer tipo de tear industrial.

O resultado é um tecido esteticamente idêntico aos encontrados no mercado, with lasers, porém a estrutura do Jacquard é o que faz com que uma peça comum torne-se uma wearable, nesse caso com tecnologia sensível a movimentos e toques. Com a parceria firmada com a Levi’s e o Google o resultado é esse:

Além da conectividade e a inteligência dessas roupas, que passam a ser dispositivos móveis, a moda ganha novos horizonte com impressões 3D, tecidos com poder de autocura (que ajudam no tratamento da dor, por exemplo), impressões digitais de estampas e texturas, tecidos impermeáveis e ainda roupas que medem a temperatura do corpo ou indicam a incidência de raios solares na pele. Enfim, ainda vem muita coisa por aí, que de minimalista e futurista não tem nada.

Fonte: https://modaetecnologia.com.br

O que é cool hunting?

Entender as mudanças antes que elas aconteçam é o que todo profissional de moda, comunicação e marketing sonha. Prever essas tendências envolve um conjunto de práticas e conhecimentos que vão muito além do “eu acho” ou “eu penso que”… Os profissionais que se dedicam a essa atividade através da multidisciplinaridade projetam cenários futuros para que possam a partir do presente entender e nos preparar para tudo isso.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
O que é cool hunting?

Esse é o papel do cool hunter ou trendhunter, cada vez mais presente esse profissional trabalha em rede ou em agências de pesquisa e ajuda a criar reports e análises sobre o nosso presente, para que possamos desdobrar possíveis cenários futuros. Para isso é importante compreender o que são tendências e como elas surgem. A respeito disso Monçores diz que o estudo de tendências é um conjunto de técnicas de pesquisa a fim de mapear um determinado grupo, sociedade ou ação específica e, a partir dos dados levantados, gerar análises que permitam, por fim, prospectar futuros possíveis.

O mercado passou a chamar esses profissionais de coolhunters, o termo começou a ser usado no final da década de 1990 e se massificou nos EUA em 1997 com o trabalho do jornalista Malcolm Gladwell para a revista New Yorker, em uma matéria na qual convidou a jovem Deedee Gordon para descrever sua profissão. Na época Deedee era uma pioneira nesta tarefa e chegou a fundar sua própria ‘agência’ de tendências, chamada Look-Look C.

O que é cool hunting?

Segundo Vejlgaard, o coolhunter observa o que acontece nas localidades propensas aos novos modismos de uma grande cidade, na tentativa de responder a questões que seriam difíceis de serem respondidas por dados quantitativos. Os coolhunters não observam objetos ‘cool’, mas sim pessoas ‘cool’ pois os bens adquirem diferentes significados de acordo com o contexto no qual estão inseridos, e pessoas com forte expressão de identidade em seu comportamento e vestuário são mais propensas a projetarem uma visão do novo, particular e único.

Nesse sentido o objetivo de identificar tendências de comportamento é transformar essas informações e insights em informações mercadológicas que sirvam para a inovação social, novos bens e serviços e ajudem a melhorar o bem estar da sociedade como um todo. É possível então transformar cultura em mercado.

UM COOLHUNTER ‘LÊ’ OS 4 Ps:

PEOPLE (PESSOAS: FOTOS TIRADAS NAS RUAS),

PLACES (LUGARES: POR EXEMPLO, NOVAS LOJAS E BARES)

PLANS (PLANOS: NOVOS GOSTOS CULTURAIS, FILMES OU

REVISTAS DE SUCESSO, EVENTOS)

PROJECTS (PROJETOS: AS ATIVIDADES DAS UNIVERSIDADES E INSTITUIÇÕES).

Além disso é importante que o profissional desenvolva uma intuição aguçada e que não trabalhe com julgamentos de valor ou culturais no momento da coleta de dados. Olhar e entender os comportamentos em contextos culturais e sociais é essencial para esse processo.

O que é cool hunting?

“A INTUIÇÃO É BASICAMENTE UM TALENTO COM O QUAL NASCI. NA REALIDADE, TODA A GENTE TEM INTUIÇÃO. NASCEMOS COM ELA, SÓ QUE SIMPLESMENTE NÃO É DESENVOLVIDA”.

                                                                                                                                      LI EDELKOORT

Li Edelkoort é um dos principais nomes no mundo quando o assunto é pesquisa de tendências. Considerada pela revista Time uma das 25 pessoas mais influentes do mundo da moda e uma das mais relevantes no setor do design pela I-D, a holandesa Li Edelkoort, é fundadora do bureau de estilo Trend Union, baseado em Paris e com clientes que vão de Coca Cola e Nissan a Zara e Chanel, a trend forecaster também é criadora da revista Bloom, um misto de horticultura, arte, design e moda, com primeira edição brasileira lançada há três anos.

O trend forecast é outro campo de atuação que tangencia o trend hunting ou o cool hunting, o termo pode ser traduzido para o português como o ato de prever, predizer, prognosticar, projetar, ou seja, criar uma visão de futuro sobre algo. A atividade de forecasting é baseada na busca em compreender e identificar a longevidade das tendências. Portanto, forecasting é um processo analítico e criativo, pois envolve não só a observação de mudanças na moda, mas também a análise e a síntese de todas as informações obtidas junto a diferentes fontes, dentro e fora do campo da moda, incluindo dados quantitativos, como vendas, estoque etc. ( KIM et al. 2011).

Muitas áreas de atuação permitem o trabalho de quem quer entender as tendências de comportamento. Esse campo de atuação precisa de pesquisas que trabalhem além da identificação de comportamentos mas que pesquisem e entendam o porque desses padrões e das mudanças. A busca é pela compreensão sobre como a sociedade se movimenta e como serviços e produtos podem surgir a partir disso em prol de um mundo mais sustentável, ético e humano.

Interessado? O Manual de Coolhunting Métodos e Práticas é um livro dedicado ao tema:

O que é cool hunting?

Foram citados:

VEJLGAARD

Monçores

Morace

KIM et al. 2011 

Confira o artigo abaixo: 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
StreetStylePOA
Moda, comportamento, fotografia e comunicação.