BEAUTY & FASHION

O futuro da moda e os wearables

Street Style POA
Author
Street Style POA

Você já deve ter ouvido falar em wearables, eles ficaram famosos desde 2012, principalmente, depois de dispositivos como o Google Glass. Essas tecnologias conhecidas como “vestíveis” impactaram o mundo da moda em sua essência. O que caracteriza um wearable é o uso sem necessidade de manuseio, eles estão sempre disponíveis (conectados), têm capacidade de processamento, de "vestir" (estar com o usuário o tempo todo) e de interação com o ambiente e com outros gadgets. Por isso o seu celular não pode ser considerado um wearable, por exemplo.

O futuro da moda e os wearables

Pensar no tema moda e futuro sempre nos remete às roupas espaciais e cenários brancos, minimalistas e cheio de telas. Nosso futuro já está aí, e não é nem parecido com o que eram os Jetsons, nem esse minimalismo todo. Essa tecnologia muda todo o sistema da moda, desde sua concepção, produção e sentido é muito mais do que uma mudança de estética ou funcionalidade apenas.

Segundo o site Moda e Tecnologia: a “máquina” não é mais a nossa inimiga e agora anda de mãos dadas com os artesãos dos finos ateliês parisienses de alta-costura. O tema da atual mostra do Costume Institute do Metropolitan Museum of Art de Nova York (MET) – considerada uma das mais importantes para a moda – celebra o trabalho mútuo exercido pelas mãos dos homens e pelas tecnologias aplicadas à moda, desde a invenção da máquina de costura.

Essas tecnologias, além de modificarem nosso cotidiano com facilidades que vão do entretenimento à saúde, aprendem com nossos hábitos aquilo que mais gostamos e aprendem sobre as nossas necessidades. Isso por um lado pode ser assustador, afinal, além de sermos vigiados o tempo todo, agora estamos conectados o tempo todo.

O projeto Jacquard, lançado pelo Google em parceria com a Levi's, nos faz entender melhor o que já deixou de ser futuro e começa a ser realidade. O wearable tech jeans trata-se de uma tecnologia que possibilita a integração de sistemas interativos de gestos e toques em qualquer tipo de tecido, usando teares industriais.

O futuro da moda e os wearables

Objetos, roupas, móveis, enfim, qualquer tipo de superfície que tenha tecido pode agora ser transformada num dispositivo interativo. Nesse caso os fios do jeans são condutivos e assim permitem que uma jaqueta realize sinapses eletrônicas inteligentes. A estrutura do fio do Jacquard possui uma combinação de estruturas metálicas finíssimas com fibras naturais ou sintéticas, como algodão, poliéster ou seda, proporcionando tenacidade suficiente para que o fio possa ser tecido em qualquer tipo de tear industrial.

O resultado é um tecido esteticamente idêntico aos encontrados no mercado, with lasers, porém a estrutura do Jacquard é o que faz com que uma peça comum torne-se uma wearable, nesse caso com tecnologia sensível a movimentos e toques. Com a parceria firmada com a Levi’s e o Google o resultado é esse:

Além da conectividade e a inteligência dessas roupas, que passam a ser dispositivos móveis, a moda ganha novos horizonte com impressões 3D, tecidos com poder de autocura (que ajudam no tratamento da dor, por exemplo), impressões digitais de estampas e texturas, tecidos impermeáveis e ainda roupas que medem a temperatura do corpo ou indicam a incidência de raios solares na pele. Enfim, ainda vem muita coisa por aí, que de minimalista e futurista não tem nada.

Fonte: https://modaetecnologia.com.br