BEAUTY & FASHION

Quando a música encontra a moda

Street Style POA
Author
Street Style POA

Considerado uma orgia virtual psicodélica, o clipe da música Loner do rapper queer Mykki Blanco, presente em Mykki, seu primeiro álbum de estúdio, é uma união selvagem entre música, arte e moda.

Quando a música encontra a moda

Produzido em colaboração com o site pornô Pornhub e o designer cult Nicola Formichetti, o vídeo foi dirigido por Anthony&Alex e teve animação de Sam Rolfes. O lançamento aconteceu no final de novembro de 2016.

Em Loner, que conta com a participação de Jean Deux, Blanco faz uma crítica à sociedade atual, a qual ele diz bombardeada pela tecnologia e redes sociais. Além disso, ele aborda a sensação universal que as pessoas têm ao não se sentirem boas e suficientemente dignas para determinadas coisas.

Cores, formas, texturas... em aproximadamente 4’40’’, o público é entretido por essa vibe artsy do clipe, que encontra no figurino uma maneira inusitada de estilizar o amor, a sexualidade e o isolamento digital na contemporaneidade.

As roupas vestidas pelo rapper e pelos figurantes são da coleção de Inverno 2016 da Nicopanda, grife de Formichetti (também diretor de criação da Diesel). O estilista surgiu na indústria fashion em 2011, como stylist da cantora americana Lady Gaga, com quem fez parcerias em Bad Romance e Telephone.

Quando a música encontra a moda

Mas o trabalho de Blanco, que busca se auto afirmar cada vez mais ao mostrar sua subjetividade nas canções do novo disco, vai além. Ele é ainda escritor e ativista, e sua voz acaba inspirando Formichetti, que afirma ser fã do trabalho do artista há um tempo.

Para o designer, o rapper traz reflexões extremamente necessárias à nossa sociedade, principalmente, no que se refere ao encontro da moda e da música mainstream. O clipe ultrapassa barreiras ao questionar as fronteiras impostas por ideologias políticas e sociais.

A influência estruturalista dos anos 20 está presente em Loner, tanto na edição das imagens quanto no figurino, pois provoca uma sensação de estranhamento no público. O futurismo também encontra espaço, já que se rejeita o moralismo e condena a censura sexual da comunidade gay.

O visual cinemático tem cenas envolvendo pessoas usando óculos de realidade virtual que as deixam experimentar o êxtase sexual. Mykki navega por uma variedade de looks, incluindo uma produção que parece feita de espelhos. Enquanto isso, Jean Deaux também arrasa no figurino ao aparecer futuristicamente chic. Segundo Formichetti, a criatividade e o propósito artístico de Blanco estão alinhados às diretrizes da Nicopanda, o que tornou essa colaboração um verdadeiro sucesso para ambos os lados.

Quando a música encontra a moda

UM ENCONTRO CERTEIRO

A música pode ser considerada a voz do tempo, de uma época ou de uma geração. A moda, obviamente, estabelece uma ligação com o momento em que é pensada e feita. Portanto, a música seria a voz de nossa indumentária.

E a relação entre moda e música não é de hoje. Outros artistas, como Elvis Presley, Madonna e David Bowie sempre foram conectados com a indústria fashion. O rei do rock causou frisson ao disseminar o estilo rockabilly, com peças extravagantes, cheias de brilho e sapatos bicolores. Entretanto, foi a rainha do pop que aprofundou esse vínculo. Considerada uma verdadeira camaleoa, ela usava suas roupas para fazer um statement à sociedade. A cantora aparecia no palco vestida de noiva com seu icônico cinto “Boy Toy” e uma maquiagem bem natural, o que declarava sua posição de libertação dos padrões vigentes na época. Durante a The Blonde Ambition Tour, o bustiê desenhado por Jean Paul Gaultier foi um símbolo da luta feminista pelo puritanismo envolvendo o corpo da mulher.

Bowie, contudo, é quem quebrou paradigmas com seu estilo, influenciando a moda com looks questionadores e que ultrapassaram as barreiras do gênero. O cantor britânico era especialista em desconstruir estereótipos e se reinventar, desprendendo-se de padrões. Quem não se lembra do tempo de Aladdín Sane e a famosa maquiagem vermelha com um raio no meio do rosto?

Assim como essas lendas da música, Mykki soube incorporar a moda em seu videoclipe de uma maneira transgressora, que não é inovadora per se, mas que permite às duas indústrias utilizarem seu alcance para disseminar uma importante mensagem: tornar o homem mais humano e livre de preconceitos.