Campos e quadras
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Campos e quadras
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Campos e quadras
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Desenterram esse vídeo com os piores 20 segundos da história da Premier League

Tapa Da Pantera
há 3 meses11.4k visualizações

A Premier League inglesa é, sem dúvida, o campeonato mais rico do planeta. Até clubes pequenos têm orçamentos milionários, maiores que muitos times grandes de outros países da Europa. Só que nem sempre foi assim, com gramados perfeitos, estádios ultramodernos e os melhores jogadores do mundo. Nem faz tanto tempo assim, a Premier League era beeeem diferente.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Desenterram esse vídeo com os piores 20 segundos da história da Premier League

Na década de 1990, era o Campeonato Italiano que tinha os melhores jogadores do mundo. Em contraste, a liga inglesa tinha poucos jogadores estrangeiros e quase nenhum técnico de fora do país. Logo, o nível do futebol apresentado ficava longe do atual. E é isso que fica óbvio nesse vídeo de 1993 que viralizou após ser desenterrado e compartilhado nas redes. Segundo muitos, ele registra os piores 20 segundos da história da Premier League.

Aconteceu durante o jogo entre Queens Park Rangers e Manchester City no estádio de Loftus Road. Deem uma olhada e entendam o drama. Os 20 segundos incluem um recuo errado, um carrinho patético do goleiro, um chute errado também do goleiro e um atacante perdendo o gol a um metro da trave (sem goleiro!). Acha que é muita coisa para 20 segundos? Então olha aí!

Se são mesmo os 20 piores segundos da história da Premier League, é difícil de dizer, mas é improvável que você veja um momento pior no dia de hoje. 

Andy Murray dá lição a jornalista que ignorou mulheres

Tapa Da Pantera
há 3 meses18.2k visualizações

Ninguém respeita o tênis feminino como Andy Murray. O britânico, bicampeão olímpico e dono de três títulos em torneios do grand slam, sempre faz referências positivas ao circuito das mulheres. Ele, aliás, foi um dos poucos atletas de elite a ser treinado por uma mulher - a francesa Amelie Mauresmo. E este ano, em Wimbledon, ele deu mais uma prova enorme disso.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Andy Murray dá lição a jornalista que ignorou mulheres

Após ser eliminado do torneio pelo americano Sam Querrey, Murray precisou dar uma liçãozinha em um jornalista. Na coletiva, um repórter americano lembrava que Querrey era “o primeiro jogador dos EUA a alcançar a semifinal de um slam desde 2009” quando o britânico interrompeu a pergunta afirmando “jogador masculino”. O jornalista não entendeu, então Murray repetiu: “masculino, certo?” O profissional da imprensa admitiu seu erro, enquanto os outros jornalistas presentes riam da correção e de como o colega ficou sem graça. Vejam abaixo:

Americanas nas semifinais de slams não são novidade, especialmente porque Serena Williams domina o circuito mundial há alguns anos. Ela, aliás, ainda é a atual campeã de Wimbledon e do Australian Open.

E que ninguém esqueça: não é a primeira vez que Murray faz algo assim, lembrando de grandes feitos no tênis feminino. Quando ganhou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, o escocês ouviu que era “a primeira pessoa a ganhar duas medalhas de ouro olímpicas no tênis”. Murray, então, corrigiu o jornalista, dizendo “primeiro a defender o título de simples. Acho que Venus e Serena têm quatro (medalhas de ouro) cada, mas não defenderam seus títulos antes.” 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
TapaDaPantera
Equipe Storia Brasil