Cineclube
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Cineclube
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Cineclube
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Velozes e Furiosos: as 5 cenas de ação mais radicais da franquia

Tapa Da Pantera
há 6 meses226.4k visualizações

Dezesseis anos depois do primeiro filma da franquia, Velozes e Furiosos 8 continua destruindo bilheterias e quebrando recordes. A série tem bons atores e histórias que sempre terminam no mesmo tema: família. 

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Velozes e Furiosos: as 5 cenas de ação mais radicais da franquia

No entanto, são as sequências de ação que todo mundo lembra, com corridas, perseguições e todo tipo de briga. Algumas delas são mais memoráveis do que outras. Sem incluir as cenas de Velozes  8 para não dar spoiler, que tal rever essas aqui?

1. Carro embaixo do caminhão

A cena é clássica. Os carros pretos com neon verde roubando um caminhão no primeiro filme da série. A sequência tem até o momento em que um dos carros pretos se enfia debaixo do caminhão.

2. A cena do avião

O clímax de “velozes e Furiosos 6” acontece quando o time inteiro persegue um avião prestes a decolar. É uma cena exagerada, com o pau comendo também dentro do avião, mas é por isso que a gente gosta dessa série, não?

3. A cena do cofre

Direto de Velozes 5, aquele supostamente passado no Rio de Janeiro, quando Toretto e a galera decide roubar um cofre e sair arrastando o negócio pela cidade.

4. A corrida

O início de “Velozes e Furiosos 2” mostra logo que a sequência é mais rápida e mais furiosa. Carrões brigando por centímetros em uma rua, com Paul Walker pilotando do lado direito de um modelo feito para o mercado britânico.

5. Arranha-céus em Abu Dhabi

Paul Walker e Vin Diesel atravessando paredes e “voando” entre um prédio e outro. Cena de “Velozes e Furiosos 7”.

4 explicações para a estreia destruidora de Velozes 8 nos cinemas

Tapa Da Pantera
há 6 meses98.6k visualizações

A incrível OITAVA película da franquia Velozes e Furiosos estreou no mundo todo no último fim de semana destruindo as bilheterias. Em três dias, o filmão polarizado por Vin Diesel e The Rock abocanhou assustadores US$ 532,5 milhões. Sim, em três dias. ‘F8”, como vem sendo apelidado, já é o novo recordista de bilheteria em estreia. “Star Wars: O Despertar da Força” tinha a marca anterior, com US$ 529 milhões.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
4 explicações para a estreia destruidora de Velozes 8 nos cinemas

Mas o que explica esse sucesso todo, logo no primeiro filme sem o mocinho Paul Walker, morto num acidente de carro? Ainda é cedo para uma resposta definitiva, mas dá para imaginar alguns motivos.

1. Vin Diesel x The Rock

4 explicações para a estreia destruidora de Velozes 8 nos cinemas

Pela segunda vez na franquia, os personagens de Vin Diesel e The Rock estão frente a frente, um contra o outro. Em F8, Dominic Toretto (Diesel) se volta contra seus amigos de crime. Logo, Hobbs (The Rock), que já foi mocinho e virou bandido, volta a ficar contra Toretto. E é inegável que desde sempre o público gosta de ver dois machos alfa saindo na porrada. É como se Stallone e Schwarzenegger tivessem engolido seus egos gigantes e tivessem feito um filme juntos lá na década de 1980, quando eram os alfas do momento (não, “Mercenários” nem começa a servir de comparação).

2. Mais estrelas

4 explicações para a estreia destruidora de Velozes 8 nos cinemas

Uma coisa que a franquia Velozes e Furiosos fez bem desde o começo foi continuar incluindo atores bons e com força para alavancar interesse. Tyrese Gibson chegou no segundo filme. Mais tarde, The Rock virou uma parte essencial da série. Um pouco depois, Jason Statham e Kurt Russell. Agora, em F8, Charlize Theron e Helen Mirren dão mais peso ao elenco. São duas ganhadoras de Oscar!

3. Calendário

Parte do sucesso de qualquer estreia está na escolha da data. Os produtores de “F8” foram precisos aqui. O fim de semana não tinha nenhuma outra opção forte nos cinemas. A concorrência era composta só por filmes em continuidade, como “A Bela e a Fera”, “Power Rangers” e “Z: A Cidade Perdida” (este ainda vai estrear no Brasil). Foi essencial não estrear junto ou perto de algum filme da Marvel ou da franquia Star Wars.

4. Fãs fiéis

Se uma franquia chega ao sétimo filme, é muito provável que ocorra um dos cenários a seguir: a) a fórmula se esgota, e o público cansa; ou b) a fórmula fica manjada, mas os filmes têm qualidade bastante para criar um público fiel o bastante para ver qualquer porcaria que venha em seguida. Não que “F8” seja uma porcaria, mas essa audiência já está fidelizada há tempos. E se a estreia surpreendeu pelo tamanho do sucesso, a verdade é que todo mundo já contava com bons números nas bilheterias.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
TapaDaPantera
Equipe Storia Brasil