Dolce Vita
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Dolce Vita
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Dolce Vita
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Conheça o forno que identifica a comida e acerta sozinho o tempo e potência

Tapa Da Pantera
há um ano15 visualizações
Conheça o forno que identifica a comida e acerta sozinho o tempo e potência
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Se você é um cozinheiro amador, assar uma costela de cordeiro ou um pãozinho caseiro no forno pode ser assustador. Pensando nisso, um grupo de engenheiros resolveu vestir o avental e criar um forno que pudesse identificar qual é a comida que a criatura quer assar e acertar a potência do calor e o tempo de cozimento. Agora o preguiçoso não tem mais desculpas!

O forno June veio para tornar as coisas simples. Ele é equipado com câmera, sensores e tudo o que um bom cozinheiro precisa saber para cozinhar, assar e aquecer alimentos automaticamente. São 60 alimentos programados, desde sementes de abóbora assadas a lombinho. A câmara é capaz de identificar 23 alimentos. Quando isso acontece, a tela se ilumina já com a programação exata.

Conheça o forno que identifica a comida e acerta sozinho o tempo e potência

O Forno June é um pouco maior do que uma torradeira padrão. Além de detecção e cozinhar alimentos automaticamente, ele funciona manualmente como um forno normal, também.

Para se fazer qualquer coisa, é preciso adicionar o óleo e temperar primeiro. Se você estiver fazendo carne, as instruções pedem para enfiar o termômetro no alimento para determinar o tempo exato de cozimento. A extremidade do termômetro fica para fora, medindo a temperatura do forno.

Ah! Eu disse que tudo isso se conecta com iOS e Android? Louco, né?! Mas é possível ver dar um confere no alimento e ainda ter um timelapse de todo o processo. Por isso, você também recebe uma notificação pelo telefone quando a comida fica pronta.

Conheça o forno que identifica a comida e acerta sozinho o tempo e potência

Como se não bastasse toda essa bruxaria na cozinha, o aparelho evolui. Sim! EVOLUI! Ele aprende constantemente como cozinhar receitas da melhor forma porque compartilha os dados de cozimento com todos os fornos June existentes, pela internet. A experiência de um forninho é de todos. Por exemplo, se alguém faz tortas de abóbora num dos aparelhos, todos os fornos June saberão como cozinhar tortas de abóbora igual ou melhor. Pense nisso como a Tesla dos fornos, na medida em que ela se basta com todo o processo de cozimento e aprende continuamente a partir das experiências.

O forno June será lançado comercialmente no fim deste ano a uma bagatela de US$ 1495 (R$ 4,8 mil). Salgado demais, né!? Infelizmente, nem todo mundo está preparado para tanta modernidade...

7 dicas para comer sushi sem passar vergonha

Tapa Da Pantera
há um ano14 visualizações

Nem é novidade que a comida japonesa chegou e tomou conta das cidades brasileiras sem pedir licença. Hoje, basta abrir qualquer site de delivery que em alguns casos os japoneses superam até as pizzarias. Então se todos seus amigos querem ir naquele japa da moda e você fica cheio de medo porque ainda não sabe comer de hashi (aqueles pauzinhos!), dá uma conferida nessa listinha pra ficar por dentro de como a coisa funciona.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
7 dicas para comer sushi sem passar vergonha

1. Use hashi

Pode soar estranho, mas no Japão, come-se sushi com as mãos. É perfeitamente aceito. No Brasil e no Ocidente, é muito provável que te olhem feio se você fizer isso num restaurante chique. Então use hashi pra não correr risco. Mas se você insistir em comer com a mão, saiba que isso só vale para os sushis, que são aqueles rolinhos de arroz com peixe cru em cima. Com sashimi, aquelas fatiazinhas de peixe cru, essa regra não se aplica. Hashi é obrigatório.

2. Peça aos poucos

Em vez de fazer todo seu pedido da noite de uma vez só, vá fazendo pedidos pequenos aos poucos. No caso do sushi, a temperatura do arroz é muito importante. Se você pedir muito, o arroz vai esfriar na sua mesa e secar antes que você coma. 

3. Uma peça, uma mordida

Comida japonesa é arte, amigo. Cada pedacinho de sushi e makimono (os rolinhos) foi pensado pelo chef para que cada ingrediente tenha determinado peso no sabor total. Então, não vá partir no meio as peças de comida antes de colocá-las na boca.

4. Arroz por cima

Essa é meio óbvia, mas muita gente só descobre depois de despedaçar um pedaço de sushi e deixar o prato cheio de arroz. Funciona assim: quando for mergulhar o sushi no molho shoyu, nunca encoste o arroz no líquido. A chance de o bolinho se desmanchar é enorme. E aí seu sushi já está desperdiçado.

5. Do claro para o escuro

Comece a refeição comendo peixes mais claros e depois vá para os mais escuros - que também são mais gordurosos. Estes têm sabor mais forte. Se você comê-los no início da refeição, o sabor vai ficar na sua língua e anular o gosto dos peixes brancos.

6. Vinho branco

Vinho branco seco é a melhor opção para acompanhar comida japonesa. Casa melhor do que, digamos, uma cerveja. Saquê também vale, mas muita gente acha que a bebida (que é feita de arroz) bate de frente com o tempero usado no arroz do sushi.

7. Sente-se no bar

Okay, isso não vale se você for com um grupo grande de gente, mas é perfeito para quem vai sozinho. Ali no balcão você vê a comida sendo feita e pode interagir com o chef. E aí é bem grande a chance de ele te dizer quais são os melhores peixes do dia. Essa é a boa!

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.