Que bruxaria é essa?!
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Que bruxaria é essa?!
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Que bruxaria é essa?!
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Emojis foram inventados no século XVII? É o que dizem os cientistas!

Tapa Da Pantera
há 8 meses136 visualizações
Emojis foram inventados no século XVII? É o que dizem os cientistas!
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

A gente usa eles para tudo. Quando estamos felizes, tristes, espantados, chorosos, dando gargalhadas… Emojis já são parte do dia a dia de qualquer pessoa que tenha um mínimo de contato com o mundo tecnológico de hoje. Mas quando isso começou? Quem criou o primeiro emoji? Você faz ideia?

Pois um grupo de curadores dos Arquivos Nacionais da Eslováquia garantem que o primeiro emoji de que se tem registro estava nos documentos do século XVII de um advogado eslovaco. O símbolo fazia parte da assinatura do profissional chamado Jan Ladislaides em um papel datado de 1635!

O rosto do tweet acima não parece tão feliz assim, mas Peter Brindza, chefe dos Arquivos na cidade de Trencin, afirma que Ladislaides não enfrentava problemas financeiros e estava de fato feliz com a assinatura dos documentos.

Até o achado eslovaco, o emoji mais antigo do mundo havia sido encontrado em um poema de 1648, de Robert Herrick, chamado “To Fortune” (“À Fortuna”). O problema é que mais tarde estudiosos afirmaram que o tal emoji era apenas um detalhe estilístico da tipografia da época.

E vale aproveitar para desfazer uma confusão muito comum: emojis não são o mesmo que emoticons. Emoticons são representações de rostos humanos feitas com caracteres de pontuação como “:-)”. Emojis são imagens pequenas inseridas dentro de textos. 

Polêmico app russo ajuda a planejar funeral

Tapa Da Pantera
há 9 meses84 visualizações

Hoje em dia,existe aplicativo pra tudo. Tem app pra fugir de engarrafamento, app pra pedir comida, app pra encontrar banheiro, app pra ver jogo de futebol e até app pra organizar funeral. Quer dizer, só na Rússia tem aplicativo pa funeral. E essa é a polêmica do momento.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Polêmico app russo ajuda a planejar funeral

O diretor de um serviço meteorológico russo, Dmitri Gueranin, acredita que o ser humano precisa estar prevenido para todo tipo de acontecimento. Por isso, criou o aplicativo Umer, que em russo significa “Morreu”.

Segundo Gueranin, com o Umer é possível “planejar sua morte durante a vida”. Lá, qualquer pessoa pode inserir todos detalhes necessários para seu enterro e receber orçamentos de casas funerárias cadastradas no app. 

Polêmico app russo ajuda a planejar funeral

Visualmente, o aplicativo é “inspirado” no Uber - e o nome também acabou ficando bem parecido. O único obstáculo até agora foi encontrar investidores, já que o Umer não é exatamente um aplicativo “feliz”, daqueles que as pessoas curtem usar o tempo inteiro e compartilham informações nas redes sociais.

Por isso, Gueranin precisou investir milhares de dólares de seu próprio bolso. Ele conta que vai recuperar o investimento quando começar a receber porcentagens das casas funerárias que forem contratadas pelo aplicativo. Será?

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
TapaDaPantera
Equipe Storia Brasil