CURIOSIDADES

5 fatos inúteis para quebrar um gelo

Giovana Penatti
Author
Giovana Penatti

Sabe quando acaba o assunto? Pois bem: use um dos fatos abaixo para restabelecer uma conversa com sucesso:

1. O refrão de Ragatanga não é um blablablá aleatório

Também não é uma invocação de demônios. Na verdade, o tal aserehe ha dehe é um embromation da música Rapper's Delight. Isso mesmo: Ragatanga é uma música sobre um rapaz - o Diego - que adora uma música, mas não fala inglês.

2. O copo americano é super brasileiro

Apesar do nome, o copo mais famoso das receitas de bolo e dos botecos nasceu aqui no Brasil mesmo. Ele foi criado no fim dos anos 40 por Nadir Figueiredo, dono da empresa de mesmo nome, que se inspirou nos copos vendidos nos EUA para criar o nosso. Quer quebrar mais um gelo com o copinho? Ele já foi destaque de design no MoMa, em Nova York.

5 fatos inúteis para quebrar um gelo

3. A Cleópatra viveu mais perto dos dias atuais que da construção da pirâmide de Gizé

Quando a Cleópatra mandava e desmandava no Egito, a pirâmide de Gizé já estava lá há um tempão: ela foi finalizada em cerca de 2560 a.C. A Cleópatra é dos anos 30 a.C. - pouco mais de 2000 anos atrás. Bizarro, né?

5 fatos inúteis para quebrar um gelo

4. Conhece a história da cabine telefônica no meio do deserto do Mojave?

Começou como uma lenda urbana, mas é real: havia uma cabina telefônica no meio do deserto do Mojave, que funcionava normalmente e podia efetuar e receber ligações. Ela ficava a cerca de 13km de qualquer rodovia - ou seja, no meio do nada! Em 1997, virou uma febre na internet e, logo depois, foi desativada. Você pode ouvir a história toda no link abaixo (em inglês).

5. Transplante de cocô existe

É verdade e pode salvar vidas! O procedimento ainda é experimental, mas foi realizado algumas vezes nas últimas décadas para curar infecções intestinais complicadas, como as da bactéria Clostridium difficile, e há registros de sua existência no século VI, na China. Uma amostra de fezes de um doador é coletada, trabalhada em um laboratório e inserida no intestino da outra pessoa.