Curadoria de Internet da Giovana
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Curadoria de Internet da Giovana
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Curadoria de Internet da Giovana
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Experimento revela que alguns dólares bastam para ser influenciador no Instagram

Giovana Penatti
há 2 meses9.0k visualizações
Experimento revela que alguns dólares bastam para ser influenciador no Instagram
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Se ter milhares - até milhões - de seguidores no Instagram e ser considerado um digital influencer está entre os seus sonhos, trago boas notícias: basta gastar algumas dezenas de dólares para conseguir isso.

Essa foi a conclusão de um experimento feito pela agência americana Mediakix. Para chegar a ela, eles criaram dois perfis diferentes no Instagram: um, de moda e lifestyle, com uma modelo como protagonista chamada Alexa Rae, e o outro, de viagem, mantido por uma fotógrafa chamada Amanda Smith. 

As duas garotas, no entanto, funcionavam como meros personagens nos perfis @calibeachgirl310 e @wanderingggirl. Para o primeiro, uma modelo foi fotografada por lentes profissionais para compor as fotos. Já para o segundo, foram utilizadas apenas fotos gratuitas de bancos de imagens com garotas loiras que só apareciam de costas - o que daria a entender que a tal moça não mostrava o rosto, mas estava presente em algumas delas.

Experimento revela que alguns dólares bastam para ser influenciador no Instagram
Experimento revela que alguns dólares bastam para ser influenciador no Instagram

Para conseguir seguidores, a agência apenas enfiou a mão no bolso, e nem foi preciso ir fundo: por valores que vão de US$ 3 a 8 dólares, é possível adquirir 1000 seguidores. Eles analisaram, depois, que os mais caros entregam melhor o "serviço", então com algumas centenas de dólares foi possível acumular dezenas de milhares de seguidores em cada conta.

No entanto, só o número de seguidores não garante credibilidade, então foi preciso também adquirir engajamento. E, mais uma vez, foi só desembolsar algum dinheiro: cerca de 12 centavos por comentário e entre US$ 4 e 9 para cada 1000 likes. Mantendo uma média de 500 a 2500 likes e 10 a 50 comentários por foto, eles conseguiram criar um engajamento falso perfeito para conquistar algumas marcas.

Então, foi só entrar em algumas plataformas de marketing de influenciadores e, em poucos dias, as duas contas fake acumularam dois jobs cada, pagos ou por permuta de produtos.

Com esse estudo, fica a comprovação de que números realmente não são tudo quando se trata de contratar um influenciador: é necessário avaliar bem o público e o engajamento. 

Mas, se seu objetivo é ter números grandes para conseguir uns mimos, fica a dica!

Como o Sonic virou um símbolo contra o nazismo nos EUA

Giovana Penatti
há 2 meses19.1k visualizações
Como o Sonic virou um símbolo contra o nazismo nos EUA
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Neste fim de semana, o mundo todo ficou chocado com as notícias de manifestações pró-nazismo em Charlottesville, no estado de Virginia, nos EUA. Como se apenas o absurdo da existência desse tipo de coisa em 2017 não bastasse, ainda houve a morte por atropelamento de uma jovem que estava na resistência contra o grupo.

Políticos, celebridades e outras figuras importantes manifestaram e seguem demonstrando seu repúdio em relação aos nazistas nas ruas (já o presidente dos EUA demorou dois dias para falar diretamente sobre o assunto...), e foi em um desses pronunciamentos que um rapaz com uma roupa peculiar, para dizer o mínimo, transformou  o Sonic - sim, o da Sega - em um símbolo da resistência contra o nazismo.

Em um pronunciamento do senador Richard Blummenthal, um rapaz, identificado depois como Ben Aech, um superfã do Sonic, chamou atenção do Twitter por estar com uma touca do personagem e uma camiseta com os dizeres "Sonic diz não para o fascismo e o racismo". E aí o Twitter fez sua mágica: com quase 40 mil RTs, o tuíte transformou o porco-espinho (ou ouriço) em um símbolo contra os nazistas.

Para quem quer uma camiseta igual para apoiar a resistência contra o nazismo em 2017 com muito estilo, é bem fácil de achar em alguns sites como o SunFrog, o TeeSpring ou o RedBuddle

In other news, coincidentemente, amanhã sai o novo jogo do Sonic, o aguardadíssimo Sonic Mania, para PS4, Xbox One e Nintendo Switch. Caso você esteja com saudade dele e tal.

Com informações: Mashable

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
TheRealGiovana
caçadora de histórias