REDES SOCIAIS

Experimento revela que alguns dólares bastam para ser influenciador no Instagram

Giovana Penatti
Author
Giovana Penatti
Experimento revela que alguns dólares bastam para ser influenciador no Instagram

Se ter milhares - até milhões - de seguidores no Instagram e ser considerado um digital influencer está entre os seus sonhos, trago boas notícias: basta gastar algumas dezenas de dólares para conseguir isso.

Essa foi a conclusão de um experimento feito pela agência americana Mediakix. Para chegar a ela, eles criaram dois perfis diferentes no Instagram: um, de moda e lifestyle, com uma modelo como protagonista chamada Alexa Rae, e o outro, de viagem, mantido por uma fotógrafa chamada Amanda Smith. 

As duas garotas, no entanto, funcionavam como meros personagens nos perfis @calibeachgirl310 e @wanderingggirl. Para o primeiro, uma modelo foi fotografada por lentes profissionais para compor as fotos. Já para o segundo, foram utilizadas apenas fotos gratuitas de bancos de imagens com garotas loiras que só apareciam de costas - o que daria a entender que a tal moça não mostrava o rosto, mas estava presente em algumas delas.

Experimento revela que alguns dólares bastam para ser influenciador no Instagram
Experimento revela que alguns dólares bastam para ser influenciador no Instagram

Para conseguir seguidores, a agência apenas enfiou a mão no bolso, e nem foi preciso ir fundo: por valores que vão de US$ 3 a 8 dólares, é possível adquirir 1000 seguidores. Eles analisaram, depois, que os mais caros entregam melhor o "serviço", então com algumas centenas de dólares foi possível acumular dezenas de milhares de seguidores em cada conta.

No entanto, só o número de seguidores não garante credibilidade, então foi preciso também adquirir engajamento. E, mais uma vez, foi só desembolsar algum dinheiro: cerca de 12 centavos por comentário e entre US$ 4 e 9 para cada 1000 likes. Mantendo uma média de 500 a 2500 likes e 10 a 50 comentários por foto, eles conseguiram criar um engajamento falso perfeito para conquistar algumas marcas.

Então, foi só entrar em algumas plataformas de marketing de influenciadores e, em poucos dias, as duas contas fake acumularam dois jobs cada, pagos ou por permuta de produtos.

Com esse estudo, fica a comprovação de que números realmente não são tudo quando se trata de contratar um influenciador: é necessário avaliar bem o público e o engajamento. 

Mas, se seu objetivo é ter números grandes para conseguir uns mimos, fica a dica!