50 litros em 5
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
50 litros em 5
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger

50 litros em 5

Histórias de viagens de uma pessoa que está sempre pronta para a próxima. Preparo o mochilão de 50 litros em 5 minutos.
    • Reportar esta pasta de histórias
50 litros em 5
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Praga, República Checa: roteiro, hospedagem e dicas

Praga, República Checa: roteiro, hospedagem e dicas
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Muita gente faz Praga em um final de semana. CLARO que seria lindo se desse pra ficar uma semana inteirinha lá, um mês, um ano, uma vida. Especialmente para poder visitar outras cidades da república Checa, afinal, um país é mais do que sua capital. Mas enfim. Se você está fazendo uma viagem curta saindo de outro ponto da Europa, ou se Praga está no seu mochilão e você tem um mês para fazer a-Europa-inteira, segue uma sugestão bem compreensiva de coisas para fazer em dois dias e uma noite em Praga, considerando que você chegou de manhã (do primeiro dia) e vai sair à noite (do segundo). 

Ah, uma dica: dá para fazer quase tudo a pé, mas se você for pegar um táxi… não pegue. Todo mundo que mora lá nos avisou que os taxistas tiram vantagem de turistas. Já tem Uber em Praga, pode baixar o app e usar.

Dia 1:

Acordando cedo, dá para curtir a (1) Charles Bridge sem a muvuca do meio dia. Acordando MUITO cedo (ou descendo do busão e correndo para lá), dá para ver o nascer do sol por lá. De lá, você atravessa a ponte e passa por alguns locais bacanas tipo o (2) Muro de Lennon, um muro cheio de arte e grafite homenageando os Beatles e John Lennon. Depois, segue para o (3) Memorial das Vítimas do Comunismo e atravessa o rio novamente para visitar o (4) Monumento ao Kafka. Tudo deve levar 1h30, 2h, dependendo de quanto tempo você leva andando e tirando fotos etc. São 2,5km.

Praga, República Checa: roteiro, hospedagem e dicas

Almoço

Free walking tour. Já aproveita que você está andando e vai fazer um free walking tour. Sempre digo: é a melhor maneira de conhecer qualquer cidade. A galera se encontra em um ponto e um guia leva para os principais lugares da região. Depois, você paga uma gorjeta para o guia (algo em torno de 5-10 euros, dependendo do quanto você curtiu o passeio). A maior parte dos lugares tem free walking tour em inglês e em espanhol.

Em Praga, um free walking tour bacana tem que te levar para, pelo menos (em inglês): National Museum, Old Town Square, Astronomical Clock, Charles University, Mozart Theather, House of the Black Madonna, Tyn Church, St. Nicholas Church, Old Town Hall, Old Jewish District, Old New Synagogue, Old Jewish Cemetery e Rudolfinum. O passeio todo dura por volta de umas três horas (com pausa no meio rs!) e é legal fazer pelo menos um tour guiado para ter uma noção da história da cidade e do significado de cada coisa.

A gente fez esse aqui (nop, não ganho nada com essa indicação). Tem todo dia em inglês e espanhol às 10h30 e às 14h.

18h Relógio astronômico. Lembre-se: para ver o “show”, tem que ser em hora cheia. O passeio termina por volta das 17h, dá e sobra tempo para você dar mais uma olhadinha na ponte Charles e voltar para a Praça Antiga para assistir.

Praga, República Checa: roteiro, hospedagem e dicas

Jantar + Bar: Tem tour de cerveja em Praga (inclusive esse, que é pago, mas te dá umas cervejas e, se você nunca tirou seu próprio chope, vai poder aprender a tirar um pint perfeito). Se não quiser pagar por tour, basta ir a um Pub e experimentar as famosíssimas cervejas checas.

Dia 2

Segundo dia, segura essa ressaca das cervejas checas e vambora! A dica é – pra variar – acordar cedo para evitar muvuca. Não precisa madrugar, mas hoje você vai visitar o castelo de Praga e é melhor chegar lá antes das 14h porque vai ter fila (por causa de procedimentos de segurança para entrada de turistas. Aliás, não leva muita coisa na mochila, para facilitar na hora da revista). O jeito mais fácil de visitar é fazendo um Free Castle Tour (tipo esse). Você tem de pagar apenas o valor do transporte público e a gorjeta que decidir dar para o o guia. O tour dura cerca de 2h30 e te leva para os principais lugares do complexo.

Mas se você quiser ir por conta, só colar lá. Como o castelo fica um pouco distante do centro antigo da cidade, a melhor maneira é pegar o Tram 22 e descer na parada Pražský hrad. Um milhão de pessoas vão descer lá também, então não tem erro.

Almoço

Depois do castelo, você tem um tempinho livre para revisitar algum lugar que tenha amado ou tomar mais umas cervejas. Se quiser, desce para o rio com umas frutinhas para alimentar os patos, cisnes e gaivotas que tem por lá. Por cima da ponte, dá pra fazer uns trecos bacanas tipo isso:

Hospedagem

ok, se você vai ficar pelo menos uma noite em Praga, tem que se hospedar em algum lugar, não é mesmo?

Seguem sugestões:

Hotel Corinthia: é um cinco estrelas mara que a gente ficou. AIMEODEOS QUE RICA. Nop, não foi uma fortuna. AIMEODEOSBLOGUEIRINHA. Também não: não foi jabá. A gente pegou uma super promoção e acabou saindo bem barato – aliás, foi a promoção que nos incentivou a ir para Praga rs. De qualquer forma, recomendamos! Chique, uma delícia e café da manhã fenomenal (tanto que raramente almoçamos hehe). Ah, e perto do metrô.

Prague-1 Hostel: preço e localização excelentes. Quartos privados com banheiros compartilhados.

Hostel One Home: esse quer atrair hóspedes, viu. Preço e localização excelentes. Quartos e banheiros compartilhados. Se você quer conhecer gente, esse é o hostel. Os caras oferecem jantar de graça todos os dias (a ideia é todo mundo se juntar, comer e sair pros rolês) e café da manhã à vonts por um preço bom.

Refeições

A República Checa tem uma culinária super focada em carnes e ensopados. Eles são famosos por gulash (apesar de não ser um prato checo) e por pratos com carpas. Para beber, saiba que os checos vivem no país da cerveja, mas alguns shots de becherovka caem bem para ajudar na digestão. E, por incrível que pareça, eles fazem ótimos vinhos!

U Medviku: não está tão dentro do circuito turístico (o que é positivo!) e tem comidas beeem tradicionais checas). Quando não é inverno, o jardim fica aberto pra quem quiser comer lá fora. Pode abusar das cervejas 🙂

Praga, República Checa: roteiro, hospedagem e dicas

Malostranská Pivnice: o lugar é bonito! Bem típico, comida boa. Só cuidado que tudo que eles colocam na mesa, se você comer, tem que pagar! A gente pagou o maior mico saindo com uns amendoins embaixo do braço, a moça nos parou na porta para cobrar. O couvert que você paga obrigatoriamente na conta juro por deus que acho que era pelo uso do ketchup. São cents de koruna, quase nada de grana, mas né? Achei chato. Mesmo assim, a comida é boa, a cerveja é farta e tem bastante opção.

U Fleku: mesas gigantes do tipo Oktoberfest. O garçom só vem com milhão de cervejas (que eles mesmos produzem) e vai dando para a galera. Servem também destilados típicos da República Checa. O lugar é histórico, abriu em 1499 e, à noite, tem apresentação de música checa ao vivo.

Vinárnu U Sudu: meio escondido, esse é ótimo para quem quer algo no estilo mais pub gótico. Serve muito vinho (o vinho checo não é famoso, mas é muito bom!). Claro, também tem muita cerveja. Literalmente underground.

Algumas palavrinhas…

Sempre que vou para um país novo, tento aprender pelo menos algumas coisinhas da língua local. Só por educação, mesmo, já que nunca jamais jamé nie serei fluente em checo. Mas é legal saber coisas básicas tipo:

Oi! = Ahoj (arrói)

Bom dia! = Dobry Den

Obrigada = Dëkuji (diakuii)

Por favor = Prosím (prossim)

Tchau = Na shledanou (nachleidanou)

Sim/Não = Ano/Ne

Fala inglês? = Mluvís anglicky? (mluvish angliksi)

*todas as indicações são indicações, mesmo haha não ganho nada com isso #nadablogueirinha

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

A lista mais apetitosa de todos os tempos

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Essa vida itinerante me levou, há um ano, a viagens internacionais e, há seis meses, a uma mudança para um país bem nada a ver com o Brasil. Nesse período, senti falta de muitas coisas, mas a comida brasileira foi uma das grandes saudades. Conversando com mais brasileiros expatriados, dá para ver que há um consenso: a comida brasileira é maravilhosa. 

1. Requeijão

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Pizza com requeijão, pão francês (que poderia ser um item à parte) com requeijão, panqueca com requeijão, TUDO COM REQUEIJÃO.

2. Tapioca

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Doce ou salgada e se bobear vai ser doce E salgada e com muito requeijão

3. Feijoada

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Não é à toa que é o prato nacional. Saudades desse feijão pretinho, arroz branquinho, couve (meo-deos-que-sdds) e farofa. FAROFA PRA CACETE. Taca mais farofa.

4. Moqueca

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

De peixe, com dendê, com camarão, com arroz, com pirão, com muita farofa, com muita pimenta e com muito amor. Só de olhar essa foto me dá vontade de CHORAR.

5. Coxinha

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Fritinha, sequinha E TACA MAIS REQUEIJÃO NELA.

6. Açaí

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Essa é minha foto de capa no Facebook. Preciso dizer mais? Fica aí uma foto de açaí com banana e granola pra vocês: 

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

7. Estrogonofe

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Nem é comida brasileira, mas no Brasil a gente pega sua comida e transforma numa coisa ainda mais apetitosa

8. Comida japonesa

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Tá achando estranho? Tenta comer comida japonesa fora do Brasil. Primeiro que costuma ser caríssimo. Segundo que o povo não coloca cream cheese nos peixes, não. Nem doritos, nem morango (rs). Isso é coisa brasileira, mesmo. E eu amo. Ah, e claro: Brasil é abundância. Temaki fora daqui é uma coisinha minúscula, não dá nem para comparar. TRAGAM-ME AS BARCAS. 

9. Pizza

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Entra na lista de coisas maravilhosas que só o brasileiro sabe fazer hehe. Pizza fora daqui é massa fininha e "cobertura" menor ainda. Pouquíssimas opções (gente, aqui tem pizza até de batata frita!) e pode esquecer esse negócio de borda recheada (DE REQUEIJÃO). E só aqui a gente finaliza com uma maravilhosa pizza de banana com canela e borda recheada com doce de leite (taí outra coisa que você não encontra igual fora da América do Sul). 

10. Pimenta biquinho e palmito

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Brasileiríssimos!!! 

11. Brigadeiro

11 coisas que todo brasileiro que mora fora sente saudades de comer

Minha nossa senhora, que saudades. Você até encontra leite condensado fora do Brasil, mas é caríssimo e não é igual o nosso. Eu fiz algumas vezes com um leite condensado RUSSO. Dá pro gosto, mas não é o nosso brigadeiro aqui de casa, raspa a panela, morre de alegrias. Aliás, voltou pro Brasil, já prepara todas as sobremesas que vão leite condensado: começando pelo brigadeiro e passando por pavê até o pudim de leite. 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
aprevidelli
Jornalista