SYPPK
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SYPPK
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SYPPK
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

As princesas da Disney têm menos falas que os homens nos filmes

Amanda Previdelli
há 2 anos15 visualizações

Da série: "não, não existe machismo no mundo, não".

Como se já não bastasse ser cheia de enredos machistas (oi? não preciso de príncipe nenhum pra ser feliz e poxa, Ariel, largar o mar por um cara que você mal conhece?), a Disney ainda silencia as mulheres dos seus filmes. 

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Pesquisadores analisaram todo os diálogos dos filmes de princesas da Disney e descobriram que os homens tem até três vezes mais falas do que as protagonistas femininas. Em A Pequena Sereia, por exemplo, eles falam 68% do tempo. Em A Bela e a Fera, 71%. No filme Pocahontas, 76%. Até no filme Mulan, com uma protagonista forte e batalhadora, os homens falam 77% do tempo. 

Não são dados muito surpreendentes, se você for pensar. Os filmes da Disney até têm uma princesa protagonista, mas o resto é tudo homem - com exceção, claro, da bruxa má. O melhor amigo da princesa normalmente é homem, o líder do vilarejo, o professor, o inventor... Todos homens. 

Basicamente você tem uma mulher (a princesa) que quer casar, uma mulher que quer destruir esses planos (provavelmente por inveja) e o resto, todas as outras ações, conselhos, drinks em bares, leituras na rua, conversas no salão do palácio... tudo é feito por homens. 

#disney #princesas #feminismo #syppk #mulan #pequenasereia #machismo

A Scully, de Arquivo X, voltou - e ela é feminista

Amanda Previdelli
há 2 anos14 visualizações

Apenas que ela está exigindo o mínimo do mínimo. 

A Scully, de Arquivo X, voltou - e ela é feminista
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Não sei se já ficou claro por aqui, mas eu gosto bastante de Arquivo X. 

E a dupla maravilhosa Scully & Mulder voltou com tudo em 2016 para mais uma temporada da série que acabou anos atrás. Um episódio duplo estreou nessa semana. Mas a notícia que me chamou mais atenção não tinha muito a ver com a história da série em si, mas muito mais com os bastidores.

Na época que a série foi ao ar nos Estados Unidos, Gillian Anderson ganhava um salário muito menor do que David Duchovny. Em entrevista para veículos americanos, ela disse que teve de lutar muito para conseguir equiparação salarial com seu colega de tela. "Salário igual para trabalho igual" era o lema. E ela conseguiu.

Mas imagina qual não foi a surpresa dela quando descobriu que, para o retorno da série, ela ia receber METADE do salário pago ao ator que faz Mulder. 

Ah, não! Gillian se recusou. Afinal, ganhadora de vários prêmios e ainda com uma carreira em alta em alguns seriados e muitas peças de teatro na Inglaterra, ela simplesmente não.é.obrigada. 

Em uma bate papo com uma revista gringa, ela conta como responde às perguntas sobre a diferença salarial lá nos anos 1990. "Isso foi naquela época, hoje é hoje". É a resposta dela. Mas aí ela toma uma puxada de tapete: "Mas aí aconteceu de novo! eu nem sei o que dizer sobre isso. É bem triste".

Mas a nossa cientista incrédula favorita não deixou quieto. Gillian e David estão recebendo o mesmo salário pela mesma quantidade de trabalho.

You go, Scully!

#arquivox #xfiles #feminismo #salário

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
aprevidelli
Jornalista