SYPPK
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SYPPK
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SYPPK
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Os melhores países para ser uma mulher no mercado de trabalho

Amanda Previdelli
há 2 anos14 visualizações

Porque tem diferença entre ser uma mulher e ser um homem, sim

Os melhores países para ser uma mulher no mercado de trabalho
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

A revista The Economist fez um excelente levantamento das condições de trabalho das mulheres no "mundo". Mundo está entre aspas porque por algum motivo a América Latina e a África foram totalmente ignoradas. Alguns países da Ásia também não estavam no levantamento.

Para chegar ao índice que colocou a Islândia como melhor país para se trabalhar sendo mulher, eles consideraram diversos fatores: educação superior (gap entre homens e mulheres), participação no mercado de trabalho, diferenças salariais, número de mulheres em altos cargos de gerência, mulheres em conselhos executivos de empresas, custos para cuidar de crianças, licença maternidade remunerada, licença paternidade remunerada, candidatas para GMAT (prova para pós-graduação) e mulheres no parlamento ou congresso.

No site, é possível mexer com cada um desses critérios e dar diferentes pesos para eles - assim é possível ver os países onde há mais mulheres no Congresso, por exemplo. Um dos critérios me chamou bastante atenção: o de licença paternidade remunerada. Já sabia da importância disso para a vida e carreira das mulheres, mas a The Economist veio com estatísticas legais pra justificar esse novo critério que não estava na tabela de 2015.

"Estudos mostram que onde os novos pais tiram licença paternidade, as mães tendem a retornar ao mercado de trabalho, a empregabilidade feminina é mais alta e a diferença salarial entre homens e mulheres, menor."

Bacana, né?

Os melhores países, sem surpresas, foram os nórdicos: Islândia, Noruega, Suécia e Finlândia. Veja mais em (link em inglês):

#feminismo #mercadodetrabalho #licençapaternidade #wagegap #gendergap

Em monólogo sobre racismo, Chris Rock decide humilhar... uma mulher negra

Sheila Vieira
há 2 anos17 visualizações

ERROR.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Como esperado, Chris Rock colocou o dedo, a mão e o braço inteiro na ferida do #OscarsSoWhite durante a cerimônia da Academia, neste domingo. Já entrou dizendo que, se houvesse indicações para apresentador, ele não estaria ali, e falou uma série de verdades sobre falta de reconhecimento e oportunidade para atores negros. Quase pensei que ele conseguiria fazer o monólogo inteiro sem menosprezar mulheres.

Eu estava errada. De todas as pessoas, Rock decidiu ‘silenciar’ justamente uma atriz negra: Jada Pinkett Smith, que publicou um vídeo falando extensamente sobre como a comunidade negra deveria parar de buscar aprovação de brancos poderosos e se apoiar internamente.

Se você não viu, aqui está:

A piada: “Jada boicotando o Oscar é como eu boicotando a calcinha da Rihanna. Não fui convidado”.

Em monólogo sobre racismo, Chris Rock decide humilhar... uma mulher negra

O pior é que, em seu vídeo, a Jada havia desejado sorte ao Chris Rock na apresentação do Oscar. O agradecimento dele por isso foi diminuindo a importância dela e do marido dela, Will Smith, dizendo que ele não merecia US$ 20 milhões por Wild Wild West (esta parte é verdade).

De todas as pessoas que falaram porcarias significativas nos últimos meses, incluindo A INDICADA A MELHOR ATRIZ QUE ESTAVA NO RECINTO Charlotte Rampling (comentou que o boicote era 'racismo contra os brancos'), a única pessoa a ser citada e humilhada publicamente é uma mulher negra.

Depois ele fez mais algumas piadas e observações certeiras sobre raça na indústria (“racista de sororidade” foi a minha preferida) e decidiu terminar de forma estranha, criticando o “Ask Her More”, uma espécie de campanha para que atrizes sejam mais questionadas sobre seu trabalho do que sobre seus vestidos. 

“É porque homens vestem todos a mesma roupa!”, disse Chris. 

NOSSA, AGORA TUDO FAZ SENTIDO! O CARA RESOLVEU O ENIGMA, PODEM VOLTAR A VALORIZAR MAIS A APARÊNCIA DO QUE O TALENTO DAS MULHERES, GALERA, COMO A GENTE ERA BURRA POR RECLAMAR DISSO! 

Infelizmente, isso tudo não é exatamente uma surpresa para quem acompanha a carreira do Chris Rock. As visões dele sobre gêneros sempre foram, digamos, próximas dos clichês.

Uma parte de mim quer acreditar que o casal Smith deu ‘permissão’ a Rock para falar aquilo. Mas isso não vai tirar a impressão de que, por mais que todos os atores negros sofram com o racismo, a batalha para as mulheres negras ainda é duas vezes maior.

Gostaria de ouvir a opinião de vocês sobre a apresentação do Chris Rock, especialmente dos negros. Gostaram?

#Oscars #ChrisRock #JadaPinkettSmith #Racism

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
aprevidelli
Jornalista