SYPPK
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SYPPK
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SYPPK
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Tá liberado criticar o feminismo da Emma Watson, mas não os peitos dela

Pleno 2017 e a galera achando absurdo ela fazer fotografias (bem mais ou menos) sensuais

Tá liberado criticar o feminismo da Emma Watson, mas não os peitos dela
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Uma das polêmicas da semana da mulher foi essa foto da Emma Watson. A atriz, feminista, foi acusada de hipocrisia dentro do próprio movimento feminista. 

Chegaram a falar coisas que nós estamos acostumadas a ouvir de homens, como "quer ser levada a sério, mas fica mostrando os peitos". Não parece coisa que seu pai machista falava quando você queria sair com uma roupa mais curta ou mais decotada? 

As críticas todas eram bem absurdas e Emma respondeu todas elas dizendo que "feminismo é dar uma escolha para as mulheres. Feminismo não é um pedaço de pau para bater em outras mulheres. Diz respeito à liberdade, diz respeito à liberação, à igualdade. Eu realmente não sei o que minhas tetas têm a ver com isso. É muito confuso". 

E ela tem total razão. A mulher tomar posse da sua sexualidade, se assumir como feminista e feminina ou feminista e dona de um corpo de mulher sem sofrer repressões machistas faz parte do movimento. 

Apesar disso, defender o direito de Emma Watson de tirar e divulgar as fotos que ela quiser não elimina a necessidade de se fazer uma crítica das colocações dela. Não dela, mas do discurso, que fique bem claro.

Tá liberado criticar o feminismo da Emma Watson, mas não os peitos dela

Por exemplo, dizer que o feminismo tem a ver com escolhas, com liberdades individuais e com a possibilidade das mulheres se vestirem como bem entenderem é um pouco simplista e reducionista demais. Esse tipo de feminismo é conhecido como "feminismo liberal": basicamente reduzir todo o movimento a 'meu corpo minhas regras'. 

Apesar do tal "feminismo liberal" ser uma excelente porta de entrada para o feminismo (que mulher nunca se sentiu julgada pelo modo como se veste? Ou sentiu na pele as pressões estéticas da sociedade?), ele não pode parar por aí. É preciso que se façam recortes no movimento: de classe, de cor, de orientação sexual, é preciso incluir as manas negras, lésbicas, gordas, trans. 

Se não o feminismo vira a turma da Taylor Swift: todas brancas, padrão, cantando sobre como elas são julgadas por seus relacionamentos amorosos. 

Tá liberado criticar o feminismo da Emma Watson, mas não os peitos dela

E feminismo é muito mais do que isso. 

A história do feminismo não ser um pedaço de pau também entra nisso. Claro que não é válido linchar uma pessoa ou culpá-la por opressões sociais. Uma mulher branca que usa turbante, por exemplo, não é responsável pelo racismo. MAS é preciso, sim, educação e desconstrução. A mulher branca que usa turbante precisa estar aberta para ouvir a mulher negra, precisa começar a reconhecer seus privilégios como branca e, bem, precisa abrir mão do turbante. 

É disso que sinto falta no feminismo de Emma Watson. Até agora, em seus discursos, vejo a atriz defendendo muito mais um feminismo individual ("eu quer posar desse jeito", "eu quero me vestir de outro jeito") e até mesmo um feminismo a favor dos homens (????) do que entrando em questões sociais e raciais e trazendo para o debate mulheres diferentes. 

Gosto muito da Emma Watson, acho que ela traz muitas garotas novinhas e até mais velhas para o movimento, acho que a própria figura dela desmistifica alguns estereótipos do que é uma feminista. Não vejo a hora de ela abraçar um significado muito maior do que é o movimento.

#feminismo #diadamulher #emmawatson

Por algum motivo, a Nike não tinha produtos plus size

Amanda Previdelli
há 8 meses213 visualizações

e essas empresas ainda não têm: 

Por algum motivo, a Nike não tinha produtos plus size
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Uma das maiores mentiras que se escutam por aí é a de que, para emagrecer, "basta ter força de vontade". Mentira e sacanagem das grandes. Para muitas pessoas, a dificuldade para emagrecer pode ter um fundo de saúde, hormonal ou psicológico que precisa ser tratado antes de se começar a décima quinta dieta do mês. Isso tudo, claro, se a pessoa quiser/precisar emagrecer. 

Estar acima do peso não é doença. Obesidade pode ser fator para o desenvolvimento de muitas doenças, mas só quem pode avaliar isso de verdade é um médico, então pare de julgar seu amigo gordo e achar que ele "precisa" emagrecer. Antes, vá você cuidar da sua saúde porque pode ser que está te faltando vitaminas, ferro, pode ser que o colesterol está alto. Mas divago.

Para quem quer emagrecer, outra dificuldade está no quão inacessíveis são todas as coisas no mundo para uma pessoa gorda. Não é mentira que academia é lugar de gente magra e esse ambiente pode ser bastante deprimente para muita gente. Sabe aquela história do você foi lá e o professor só dá atenção para o brother bombadão dele ou para a menina super em forma? É real.

Até coisas pequenas e imperceptíveis para quem não tem problemas com a balança podem prejudicar: já reparou que um monte de academia tem catracas? Quase todas, na verdade, né? Parece que existe um limite do tamanho que o sócio frequentador pode ter para usar os aparelhos e frequentar as aulas. 

E não é mimimi. É sofrimento de verdade para muita gente. 

Outro ~detalhe~ que prejudica a vida de quem quer emagrecer ou, então, de quem nem está a fim de emagrecer, mas quer praticar exercícios físicos: falta roupa. Eu nem sabia, mas até essa semana a Nike, uma das maiores empresas de artigos esportivos, não tinha uma linha plus size. 

A empresa lançou tamanhos plus para mais de 200 produtos como camisetas esportivas, calças, shorts e jaquetas. Os tamanhos agora chegam até o 3X nos Estados Unidos - algo como o GGG por aqui. E os sutiãs esportivos chegam ao tamanho 38E.

O lançamento da Nike (antes tarde do que nunca) coloca pressão em empresas do ramo que ainda não têm essas ofertas. Especialmente sua grande concorrente, a Adidas e a Puma.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
aprevidelli
Jornalista