OUTROS

00:23, 28 junho

Bia Airoldi
Author
Bia Airoldi

Vejam só vocês como as coisas são. ...

"Perdi" minha mãe há 13 anos e meio. E coloquei aspas no "perdi" porque eu não me sinto confortável com essa palavra. Eu não perdi a minha mãe; eu sei exatamente onde ela está.

Mas eu me desvio, desculpe.

Há 13 anos e meio, eu tive que me despedir temporariamente da Mamãe. Ela cumpriu sua missão aqui e foi para o lado de lá.
Pois bem.
No começo, se ajustar à nova rotina era bem complexo. Volta e meia eu me pegava pensando: "Aconteceu uma coisa legal, Mamãe vai gostar de saber". Até que o choque da realidade me deixava prostrada, aos prantos, pedindo colo.

O tempo vai passando, e você vai se acostumando com isso, e a dor deixa de ser dor, e vai virando lembrança, depois saudade.

E eis que hoje, 13 anos e meio depois, eu me pego num ato falho novamente.
Dentro do mercado, reencontrei uma colega de escola - na minha época, escola ainda era chamado de 1° Grau, aprendam crianças. Eu não a via há quase 20 anos, desde que eu me formei no Ensino Fundamental.

(Aliás, parabéns turma de 95 da EMPG Bernardo O'Higgins! 20 anos já! Cassete! )

Deviei de novo, desculpe.

Então. Foi sensacional reencontrar essa pessoa depois de décadas (e aqui eu vou sentindo um pouco do peso da idade. ..). Atualizamos um pouco da vida e nos despedimos. Somos vizinhas de bairro, e um novo encontro ficou de ser marcado.

Saí do mercado, indo pra casa, felizona com essa história. E daí, a primeira coisa que eu penso é : "Mamãe vai gostar de saber que eu encontrei com ela ".

O pensamento durou pouco mais de 3 segundos, mas foi suficiente pra quase fazer um estrago emocional.

A saudade não cede. A dor já é quase um acalento.
Mas a realidade não mudará.

E escrevo esse textão bizarro pensando na Caroline. A gente falou disso hoje mais cedo. Mas saiba, amiga querida, que esse pesar vira uma coisa ainda mais legal com o tempo: a lembrança de uma pessoa amada, que vira um golpe surpresa de amor, e termina com um sorriso inesperado.

:)

(PS : no 9Gag, os posts longos terminam com uma batata. Como eu não tenho uma imagem de batata pra encerrar, deixo aqui uma surpresinha. Se você chegou ao fim deste texto, sinta-se abraçado por mim, com direito a bitoquinha na ponta do nariz ❤)