TV

Os 5 melhores atores de Avenida Brasil, além da deusa, né?

Autor

Claro que a lista é minha, e não tenho a pretensão de conseguir unanimidade. Os adoradores de Marcello Novaes (juro que quase entrou na lista), Juliano Cazarré, Debora Falabella, Heloisa Périssé, Ailton Graça, José Loreto, Otávio Augusto, Eliane Giardini, Alexandre Borges, Débora Bloch, Camila Morgado... que me perdoem. Mas, para mim, esses são os destaques da novela. Deveriam ser apenas cinco, mas a deusa fica isolada, com o primeiríssimo lugar disparado, hors concours.

Os 5 melhores atores de Avenida Brasil, além da deusa, né?

(Reprodução/Rede Globo)

Hors concours, a deusa, maravilhosa, espetacular, sensacional

Adriana Esteves, 42 anos à época, 1,63m, 47 vezes congelada durante a novela.

Entrou para o seletíssimo panteão da vilania nacional. Está entre as personagens odiadas-mais-amadas da teledramaturgia brasileira. Seu desempenho foi tão absurdamente tremendo, que o autor da novela, João Emanuel Carneiro, disse que a atriz foi sua coautora. Ela é tamanha unanimidade, que não vale a pena gastar muitos elogios embasbacados. Farei apenas um que, para mim, é o melhor momento dela na novela. É a sequência do capítulo 166 em que ela vai se encontrar com Max para que Lúcio coloque o iate a pique. Diferentemente dos divertidíssimos ataques dados durante toda a novela, as cenas são de uma contenção comovente. Ela segue no carro, chiquérrima, com o cabelo esvoaçante, em silêncio. Seus olhos estão cheios de lágrimas [foto acima]. Ela lembra da infância no lixão com Max. A direção também é primorosa, ao focar o menino sob o ponto de vista da garotinha. Ela chora, mas logo se recompõe. O silêncio entre ela e Lúcio no carro é constrangedor. Carminha chega ao píer e encontra seu amante apaixonado, planejando "fazer amor sob as estrelas". Como sempre, mais uma vez ela mente, mas pela primeira vez a mentira vem envergonhada, sem a cara de pau de suas costumeiras dissimulações. Dá para sentir que ela vai matar o amante porque precisa sobreviver, na lógica carminiana, mas está tristíssima por isso. É, para mim, o momento de maior humanidade da personagem. Maior, inclusive, do que quando declara seu amor pelo filho. 

Os 5 melhores atores de Avenida Brasil, além da deusa, né?

(Reprodução/Rede Globo)

Murilo Benício, 41 anos à época, 1,76m, 17 vezes congelado no final da novela

Fico imaginando um diálogo entre o autor da novela, João Emanuel Carneiro, e o ator.

– Olha, Murilo, eu tenho um convite pra te fazer. Quero que você seja o protagonista na nova novela das nove que estou escrevendo para a Rede Globo.

– Puxa, João, que honra. Vou adorar trabalhar com você novamente, rapaz.

– Então, olha só. Tem um detalhezinho. O protagonista será um sujeito corneado pela mulher e o cunhado dentro de casa por 12 anos, que criará os filhos do adultério e, ainda por cima, será um cara quieto e deprimido. Um ex-jogador de futebol aposentado que vive dentro de casa, uma mansão no subúrbio carioca, e que sai para ver o filho treinar ou para tomar uma cervejinha com os amigos de bairro.

– Porra, João, depois você diz que é meu amigo. Ó, deixa eu pensar um pouquinho e te respondo.

Imagino o Murilo Benício indo para casa em solilóquio. “Putz, tô ferrado. Como é que construo o personagem para não ficar um porre? Imagina um cara vivendo sete meses diante dos espectadores, sendo ele próprio um espectador e, ainda por cima, deprimido?”.

E aí, imagino o ator, que é conhecido por trabalhar bastante na caracterização de seus personagens, buscando inúmeras referências até chegar ao Tufão que foi ao ar. De Robert de Niro, tirou o olhar baixo, meio enviesado. De Sylvester Stallone, o colar de ouro com uma chuteira [Rocky Balboa usava uma luva de boxe].  Baixou uma oitava sua voz e veio com um Tufão de voz rouca de barítono. Adotou um andar lento. Construiu um tipo bovino, bem afeito ao deprimido enganado. Fez questão, porém, de dar bom humor ao personagem e não se cansou de repetir em entrevistas que tinha em mente que o cara era um "vencedor", que jogou no Paris St-Germain, foi campeão pelo Flamengo, vivia no bairro de escolha ao lado da família que construiu e transava gostoso com sua mulher infiel. Assim, apesar de ter sido o corno manso mais famoso do país durante meses, conquistou os corações do público e os elogios da crítica. Ele conseguiu dar densidade e veracidade ao personagem, que corria o risco de ser enfadonho.

Os 5 melhores atores de Avenida Brasil, além da deusa, né?

(Reprodução/ Rede Globo)

Marcos Caruso, 60 anos à época, 1,92m, uma vez congelado durante a novela.

Aqui também vale imaginar o diálogo entre Caruso e João Emanuel, porque o próprio ator disse, em entrevistas, que duvidou se conseguiria encarnar um malandro carioca. Caruso é descendente de italianos e viveu sempre em São Paulo. Para construir seu personagem, morou uma temporada no subúrbio do Rio, de onde tirou o gingado, a risada e os indefectíveis óculos, bermuda e camiseta regata. Precisou, ainda, ter aulas de sinuca, já que estar no bar bebendo cerveja e jogando era um dos passatempos prediletos do personagem. Como prêmio, Leleco ainda ganhou o amor uma das mulheres mais bonitas da novela, a Tessália [Débora Nascimento]. O sucesso foi tão grande que até a neta de Caruso o chamava Leleco durante a transmissão de “Avenida Brasil”. Segundo o autor, João Emanuel Carneiro, os melhores cacos no texto (improvisações) eram de Caruso. Murilo Benício declarou que foi um prazer gigantesco trabalhar com o ator, que fazia o papel de seu pai no folhetim.

Os 5 melhores atores de Avenida Brasil, além da deusa, né?

(Reprodução/Rede Globo)

José de Abreu, 66 anos à época, 4 vezes congelado durante a novela

Seu personagem era abjeto. Nos primeiros capítulos, inclusive, tinha os cabelos gosmentos. Outro que trabalha bastante na caracterização, José de Abreu ficava horas sendo preparado por equipe de maquiagem e figurinistas para encenar o homem traído que virou alcoólatra, foi morar no lixão com o filho e passou a atormentar as crianças. Uma das marcas registradas do personagem –a risadinha hihihi, que virou hit nacional– foi criada pelo ator para que seus dentes maquiados pudessem aparecer na televisão. A partir do capítulo 50, o autor passou a colocá-la no texto. José de Abreu conseguiu ser adorado pelas crianças, ao dar a Nilo um ar de bufão infantil. 

Os 5 melhores atores de Avenida Brasil, além da deusa, né?

(Divulgação/ Rede Globo)

Ísis Valverde, 25 anos à época, 1,63m, nenhuma vez congelada durante a novela.

É claro que a atriz é um espetáculo e fez papel de gostosa em “Avenida Brasil”, chegando até a tirar a roupa em pleno gramado do time do Divino. Para viver a sensual do subúrbio e livre sexualmente, Ísis Valverde, que é mineira, teve de malhar todos os dias durante a novela. O talento da moça superou suas curvas. Seu desempenho fez com que a atriz fosse ganhando espaço na novela e respeito entre público e crítica.

Os 5 melhores atores de Avenida Brasil, além da deusa, né?

(Reprodução/Rede Globo)

Cacau Protásio, 37 anos à época, 1,73m, congelada uma vez durante a novela.

A atriz fez um papel que poderia ser pequeno em “Avenida Brasil”. Ela era uma das empregadas da mansão da família Tufão, futriqueira e invejosa. Deu verve humorística à personagem e foi crescendo durante a trama, a ponto de ganhar espaço nos créditos iniciais da novela. Cacau Protásio protagonizou cenas hilárias –como a antológica “Dança do amendoim”, em que canta “Eu quero ver tu me chamar de amendoim” enquanto passa aspirador de pó, ou como a cena em que veste um chamativo lenço colorido "como disfarce" para não ser reconhecida na favela onde mora, quando leva Jorginho até a casa que serviu de cativeiro durante o falso sequestro de Carminha.

Veja também

Lá se foram 5 anos! Quem mais está com saudades de Avenida Brasil?

5 frases inesquecíveis de Carminha

5 momentos de Avenida Brasil que bombaram na internet

5 coisas que talvez você não saiba (ou já tenha esquecido) de Avenida Brasil

Os 5 maiores furos no roteiro de Avenida Brasil