MÚSICA

As 7 melhores músicas feminejas de 2017

Автор
As 7 melhores músicas feminejas de 2017

(Divulgação)

É preciso admitir que 2017 não foi um ano tão produtivo para o sertanejo em geral. Tivemos poucas novidades dos artistas do gênero e uma ascensão do funk em todas as listas de mais tocadas do Brasil. Nada contra, mas talvez esteja chegando a hora dos artistas perceberam que não podem viver só de festivais e cachê. O público está sempre sedento por novos refrões e motivos para beber.

Dito isso, é possível afirmar que o "feminejo" também foi afetado pela "crise". As mulheres mantiveram seu espaço, claro, mas não tivemos nada de muito novo no leque que já estava muito bem estabelecido em 2016. Marília Mendonça, Maiara e Maraisa e Simone e Simaria continuam sendo os grandes nomes do gênero e os "features" estão mais fortes do que nunca.

Mesmo com todas essas pedras no caminho, é possível listar sete grandes momentos das sertanejas em 2017:

Simone e Simaria feat. Anitta - "Loka"

Lançada no comecinho do ano, "Loka" foi hit no verão, no carnaval e, sem dúvida, vai tocar no natal e ano novo. Simplesmente não conseguimos cansar dessa música. A parceria entre as artistas que estão no topo da cadeia alimentar dessa fauna chamada mercado fonográfico brasileiro não poderia dar errado. "Vamos curtir a noite de patroa, azarar os boy, beijar na boca, aproveitar a noite e ficar louca" redefiniu o conceito do que os jovens chamam de "hino".

Simone e Simaria - "Regime Fechado"

Mesmo em um ano não tão produtivo para o gênero e sem lançar disco novo, Simone e Simaria se mantiveram relevantes. "Regime Fechado" não saiu em 2017, mas teve o seu grande estouro este ano, ganhando até um clipe super produzido com participações de Nego do Borel, Tirullipa, Giovanna Ewbank, Bella Falcone e Gominho. A música, uma das melhores da carreira da dupla, finalmente ganhou o merecido sucesso.

Maiara e Maraisa - "Sorte Que Cê Beija Bem"

O Brasil descobriu Maiara e Maraisa ano passado com duas das músicas mais tocadas no país, "10%" e "Medo Bobo", canções que ilustravam muito bem desilusões amorosas e provaram que mulher também pode cantar sobre beber, chifrar etc. A dupla continuou no topo em 2017 principalmente por causa do sucesso "Sorte Que Cê Beija Bem", do Ao Vivo em Campo Grande, que tocou praticamente o ano inteiro em nossos players.

Day e Lara - "Enquadra"

Day e Lara é sem dúvida uma das duplas mais subestimadas da música sertaneja. As duas estouraram ano passado com a música "Até Ex Duvida", que dizia: "É ruim, hein! Que eu vou ficar em casa assistindo seriado, me empanturrando de sorvete congelado, chorando por alguém que não deu conta do recado". "Enquadra" segue a linha bem humorada, que é uma característica marcante dessa geração de "feminejas", mas fica ainda mais evidente na voz de Day e Lara. A combinação "enquadra quem não tá valendo nada" com danças com roupas sensuais atrás das grades de uma delegacia é um dos grandes momentos do sertanejo feminino de 2017.

Marília Mendonça - "Amante Não  Tem Lar"

2017 consolidou Marília Mendonça como a cara do "feminejo". O nome da cantora virou sinônimo de beber, sofrer, chorar e dar a volta por cima. "Amante Não Tem Lar" parece música de artista experiente, com anos de estrada, mas na verdade é símbolo de tudo que a grande estrela do sertanejo conquistou com apenas 22 anos.

Lorena e Rafaela - "Políticos de Terceiro Mundo"

A "wild card" dessa lista é "Políticos de Terceiro Mundo" de Lorena e Rafaela. As duas ainda nem têm idade para cantar sobre bebedeiras e chifres, como as sertanejas que estão acima dos 21 anos, mas acertaram ao fazer uma música falando sobre o atual desanimador cenário político brasileiro. "O peso dos deveres o trabalhador aguenta, mesmo sabendo que golpista nos representa" poderia ser um verso de Tico Santa-Cruz, mas encontrou o seu espaço na música sertaneja. A dupla que já passou por programas como Raul Gil, Silvio Santos, Ratinho, The Voice Kids e Viola Minha Viola com certeza vai longe.

Roberta Miranda feat. Marília Mendonça, Naiara Azevedo, Solange Almeida, Maiara & Maraisa, Day e Lara e Simone e Simaria - "Majestade O Sabiá"

O que dizer de um "feature" de todos os grandes nomes do atual "feminejo" com a "femineja" original, Roberta Miranda? A música não é uma simples releitura desse clássico da música brasileira, mas uma homenagem das vozes mais jovens ao pioneirismo de Roberta dentro do meio sertanejo, que sempre foi acusado de machista. "Majestade o Sabiá" é, sem dúvida, uma das gravações mais emocionantes de 2017.