música
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
música
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
música
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Lorena e Rafaela falam sobre sertanejo de protesto "Políticos de Terceiro Mundo"

Ciro Hamen
há 10 dias32.7k visualizações
Lorena e Rafaela falam sobre sertanejo de protesto "Políticos de Terceiro Mundo"
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Aqueles que ainda acreditam que o rock é único gênero musical de contestação podem estar perdendo o bonde da história. Enquanto o funk continua mostrando força e fôlego capaz de irritar o status quo, a canção brasileira com maior potencial de ser o hino de uma geração completamente desiludida com a política veio de onde menos se esperava: do sertanejo.

"Políticos de Terceiro Mundo", da dupla Lorena e Rafaela, viralizou na internet depois de postagens em páginas como O Brasil Que Deu Certo e mostrou que você não precisa ter tatuagens ou cabelo moicano para mostrar indignação com o que acontece em Brasília. O verso "O peso dos deveres o trabalhador aguenta, mesmo sabendo que golpista nos representa" poderia ser de Tico Santa Cruz ou Dinho Ouro-Preto, mas é de autoria de uma dupla sertaneja de Uberlândia (MG).

Lorena e Rafaela, assim como grande parte dos sertanejos, começaram cantando ainda meninas, com 4 e 5 anos de idade. Colecionaram passagens por programas de TV, como Raul Gil, Silvio Santos, Ratinho, The Voice Kids e Viola Minha Viola, e, hoje, aos 16 e 17, estão prestes a lançar o seu sexto disco.

"Políticos de Terceiro Mundo" faz parte do disco Volume 5, 100% Autoral. A música é de 2016, mas continua bastante atual, uma vez que pouco mudou no cenário político de lá pra cá. Ouça:

Eu não sei se vocês sabem, mas a música "Políticos de Terceiro Mundo" tá estourada na internet. Ela viralizou graças a páginas como O Brasil Que Deu Certo e queria saber se vocês já estão sabendo desse sucesso.

Rafaela: Sim, nós estamos sabendo desse sucesso de "Políticos de Terceiro Mundo", que é bastante bacana, pois é uma música que reflete o cenário político atual do Brasil. É uma forma... não diria que é uma forma de protesto, mas uma forma das pessoas olharem e terem uma música para representar o cenário político atual, uma forma de visão.

Lorena: Exatamente. A letra da música é de minha autoria e a melodia foi feita pela Rafaela. E graças a deus ela está aí, estourando nas redes sociais. A gente agradece muito.

Eu queria saber de onde veio a inspiração para essa música.

Rafaela: A inspiração dessa música foi justamente o cenário político atual que a gente vem enfrentando, que a gente vem acompanhando. Com certeza merecia ser feita uma canção para que as pessoas pudessem acompanhar e ver com outras visões. E no formato música ficou muito bacana, serviu de alerta para muitos cidadãos que veem essas desigualdades, esses problemas sociais que a gente enfrenta, principalmente na política, a corrupção... Essa música serve de alerta.

Vocês têm como grandes ídolos a dupla Milionário e José Rico, que já fizeram música com mensagem política, como "Mensagem de Amor", que exaltava o povo e os governantes chineses depois da passagem deles pela China. A música de vocês, no caso, chama atenção por expressar uma falta de esperança que reflete o momento pelo qual a sociedade brasileira passa, e também por ser sertaneja, gênero no qual não é tão comum letras mais politizadas. Vocês acham que há espaço para esse tipo de mensagem social dentro do meio sertanejo?

Rafaela: Com certeza sim. Há espaço para esse tipo de mensagem na música sertaneja, até porque eu e a Lorena somos bem ecléticas, não nos prendemos a rótulos. Nós gostamos de músicas boas, não importa a vertente. Nos nossos shows cantamos de música erudita a moda de viola, então a gente gosta bastante de quebrar esses rótulos. E com certeza há espaço. Só existe dois tipos de música: música boa e música ruim. E a gente gosta de música boa. Com certeza há espaço.

Vocês já receberam elogios de caipiras mais tradicionais, como Inezita Barroso, e a sonoridade de vocês parece estar mais alinhada ao sertanejo antigo. Vocês acham que têm espaço dentro dessa onda do "feminejo" atual, de Maiara e Maraisa, Marília Mendonça, que toma conta do mercado?

Rafaela: Com certeza na música há espaço para todos os estilos, para todas as vertentes. Sim, como você disse, nossa sonoridade é alinhada mais ao sertanejo tradicional, pelo fato de a gente gostar demais de escutar Milionário e José Rico, Chitãozinho e Xororó... Foi uma honra participar do programa [Viola Minha Viola] com a Inezita. Receber os comentários e os elogios dos artistas é sempre uma honra pra gente. Em todos os lugares que a gente passa, a gente leva essa bandeira do sertanejo mais tradicional por a gente gostar, mesmo cantando de tudo um pouco, todos os estilos. E essa onda do sertanejo universitário eu acredito que veio pra somar com o sertanejo tradicional e aumentar ainda mais a família do sertanejo, aumentar o alcance do público. E nenhum tira o espaço do outro não, existem pessoas de todos os gostos, que gostam de todos os estilos, com certeza tem espaço de sobra.

Vale a pena ir atrás do resto da carreira de Lorena e Rafaela no YouTube também, pois há vídeos incríveis, como esta participação delas ainda bem pequenas no Programa Raul Gil:

2017 e ainda temos irmãos Gallagher brigando na mídia

Ciro Hamen
há 10 dias7.3k visualizações

O ano é 2037. O vovô Liam Gallagher de 65 anos diz que a nova banda do neto de seu irmão, Noel Gallagher, de 70, é um lixo. Noel responde em alguma entrevista dizendo que "esse velho precisa se tratar". O cenário é imaginado, mas poderia muito bem ser real.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Estamos em 2017 e ainda falando das brigas dos irmãos criadores de uma das pedras fundamentais do britpop, o Oasis. A banda está separada desde 2009, quando Noel decidiu abandonar o barco, e não dá o menor sinal de que um retorno (mesmo que seja apenas pelo dinheiro) possa acontecer.

Em uma entrevista para o The Sunday Times, Noel foi perguntado se havia alguma chance de uma volta do Oasis. "Talvez você faça isso por 200 milhões de dólares, mas vamos dizer que você não precisa de 200 milhões de dólares", respondeu.

Na mesma entrevista, Noel falou que Liam "precisa de um psiquiatra". A alfinetada veio em resposta às críticas de Liam, que detonou o irmão por não tocar no "One Love Manchester", show beneficente promovido por Ariana Grande para as vítimas do show da cantora em Manchester. "Eu não fui chamado", disse Noel. Liam, então, fez uma série de tweets para provar que ele havia sido chamado sim.

Noel também debochou do fato de Liam escrever sobre a relação dos dois em seu recém-lançado disco solo, As You Were: "Você pensa que ele escreveria músicas sobre a ex-mulher idiota dele, com a qual ele acabou de terminar".

Noel e Liam Gallagher são a prova viva de que briga de irmão é coisa séria.

O disco novo da banda de Noel, Noel Gallagher´s High Flying Birds, Who Built the Moon?, sai no dia 24 de novembro.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar