MÚSICA

O show de Justin Timberlake foi realmente o pior da história do Super Bowl?

Autor
O show de Justin Timberlake foi realmente o pior da história do Super Bowl?

(Reprodução/Twitter)

Havia uma grande expectativa em torno do show de Justin Timberlake no intervalo do Super Bowl. O cantor já era um velho conhecido do maior evento televisivo americano do ano, pois já tinha pisado no palco mais visto do mundo em 2001 ao lado de seu antigo grupo, o N*SYNC, e em 2004, quando protagonizou o fatídico episódio no qual expôs o seio de Janet Jackson ao vivo.

Vamos dizer que o momento não é dos melhores para Justin. O cantor acaba de lançar um disco, Man of the Woods, que está sendo detonado pela crítica, além de ter estrelado o novo filme de Woody Allen, Roda Gigante, o que levou Rose McGowan a chamar a sua participação no movimento feminista #TimesUp uma "farsa". Pra completar, Justin se envolveu em uma polêmica dias antes da apresentação por conta do anúncio de que um holograma de Prince faria participação no seu show, sendo que era algo contra o desejo da família do falecido cantor.

Não bastasse tudo isso, Justin Timberlake ainda conseguiu fazer um dos shows menos empolgantes da história recente do Super Bowl. O cantor conseguiu encaixar 11 músicas em um set de apenas 13 minutos, algo que pareceu uma tentativa desesperada de fazer o público se lembrar de todos os seus hits. Há sucessos que empolgam e que poderiam ter sido executados em versões maiores, como "Rock Your Body", "Sexy Back" e "Mirrors".

Porém, o momento mais constrangedor veio mesmo com a "homenagem" a Prince. Uma projeção que pareceu ter sido feita às pressas em um pano branco, enquanto Justin cantava "I Would Die 4 U". É preciso admitir, no entanto, que a cidade inteira ficando roxa foi um toque bonito.

Difícil pensar em um show tão equivocado quanto esse nos últimos anos. Até mesmo shows que dividiram opiniões, como os de Lady Gaga e Coldplay, não deixaram espaço para a unanimidade do crivo popular que decidiu que Justin Timberlake foi um grande erro.