FUTEBOL

5 motivos para acreditar (ou não) no sucesso de Zidane no comando do Real

Daniel Akstein Batista
Author
Daniel Akstein Batista

O Real Madrid anunciou nesta segunda-feira que Zinedine Zidane é o novo técnico do time. Rafa Benítez foi demitido após o empate por 2 a 2 com o Valencia no sábado, pelo Campeonato Espanhol.

“Temos o melhor time e a melhor torcida do mundo. O que tentarei fazer é o melhor possível para que o time ganhe algo no final do ano. O importante é estar amanhã com o time e começar a trabalhar”, disse o ex-jogador francês.

Zidane é uma aposta do presidente Florentino Pérez e será o primeiro treinador francês na história do Real. Vai dar certo? Só o tempo dirá. Mas listamos alguns motivos para acreditar ou não em seu sucesso.

PONTOS POSITIVOS

- Tem uma bela história no Real Madrid como jogador. Atuou pelo time madrileno de 2001 a 2006, ganhando dois campeonatos nacionais e duas Ligas dos Campeões.

- Vinha treinando o time B do Real, chamado Castilla.

- Foi auxiliar de Carlos Ancelotti no time principal do Real durante a conquista da Liga dos Campeões 2013/14. E conhece bem o atual elenco.

- Por toda sua história no Real, tem amplo apoio da torcida, que o reverencia.

- Tem apoio do presidente Florentino Perez, que já pensava em colocá-lo como técnico há alguns meses.

PONTOS NEGATIVOS

- Tem pouca experiência no cargo: nunca dirigiu um time de grande porte ou numa divisão principal.

- Em seu trabalho no time B do Real, o Castilla, ganhou elogios e críticas desde que assumiu em 2014. Por exemplo, ele perdeu seus três primeiros jogos como técnico. E a equipe oscilou em vários momentos.

- Envolveu-se em algumas polêmicas no time B, como dar a faixa de capitão ao seu filho Enzo e por ter treinado a equipe sem possuir diploma de técnico em 2014.

- Vai conviver com as dúvidas da imprensa madrilena.

- Encontrará um rival à altura, o Barcelona, que não vem dando chances aos adversários. E perder do maior rival nunca é algo bom.

5 motivos para acreditar (ou não) no sucesso de Zidane no comando do Real