OUTROS

A experiência de ser o dono do próprio negócio

Daniel Akstein Batista
Author
Daniel Akstein Batista

Em tempos de crise financeira, muita gente desempregada acaba decidindo abrir seu próprio negócio. Junta o dinheiro que recebeu quando foi demitido, procura algo que acha ter a ver com seu perfil e pronto. Transforma-se em um micro-empreendedor.

A maioria das pessoas procura abrir uma franquia, pela segurança de já ter uma marca conhecida e estabelecida no mercado. Mas outros vão para um diferente lado. Apostam suas fichas numa ideia própria, que pode ser muito melhor ou um fracasso dependendo de suas ações futuras.

Em 2013, após 8 anos em uma redação de jornal, entrei para o mundo das carteiras não assinadas. Demitido em um dos vários passaralhos que infelizmente nós jornalistas nos acostumamos a ver, resolvi entrar na vida de freelancer. Junto a isso, resolvi abrir meu próprio negócio, uma revista pet. Ela continua na ativa, com circulação nas cidades de Jundiaí e Indaiatuba.

Como qualquer negócio, a gangorra está sempre na ativa: pode ter dias ruins e dias bons. Posso também não ser nenhum especialista no assunto, mas aqui vão algumas dicas para quem busca seguir seu rumo com o próprio negócio. Algumas delas me ajudaram no começo, outras fui sentindo por experiência própria:

Saiba quem são seus concorrentes

Parece uma coisa óbvia, mas antes de abrir qualquer negócio é preciso saber da concorrência. Como jornalista, pensei muito antes de chegar no tema ‘pet’ para a minha revista. Inicialmente queria falar de outra coisa, mas já tinham muitas outras publicações falando de saúde ou alimentação, por exemplo. Sabia que ia entrar numa concorrência direta que talvez não fosse legal, e eu sairia atrás por ser novo no mercado. Fora isso, mesmo abordando um assunto diferente, vi muitas tabelas de preço de anúncio das publicações já existentes na cidade, para não cobrar um valor exagerado e nem muito abaixo do mercado.

Pesquise a região

Antes de decidir fazer uma revista pet, rodei a cidade para tentar descobrir como era o mercado. Afinal, de nada ia adiantar eu começar uma revista se não tivesse possíveis anunciantes. Conversar com quem é da área também é bastante útil, para saber com mais detalhes como funcionam as coisas. E um dado importante: uma cidade é sempre diferente da outra. Não é porque uma revista X faz sucesso em uma cidade que a fórmula vai se repetir na outra.

Seja diferente

Você pode até montar um negócio parecido com o que já tem na esquina de sua casa, mas busque um diferencial. Ofereça um bom produto que você já estará em um bom caminho.

A decisão é sua

Você agora é seu próprio chefe e vai precisar ter decisões que talvez nunca tenha precisado. Trabalhando em uma redação de jornal, eu precisava apenas entregar o texto pronto em determinado horário (e dar sugestões de pautas, por exemplo). Agora preciso negociar o preço em gráfica. Preciso decidir como será o conteúdo das minhas páginas. Tenho de contratar fotógrafo e designer quando necessário. Tenho de pagar impostos que nunca antes imaginava existir. E por aí vai.

Faça as contas

Não adianta nada ter uma boa ideia se você não colocar tudo certinho no papel. E estou falando financeiramente. Saiba os gastos que você vai ter, faça um orçamento e uma previsão de quanto deve faturar. E se der prejuízo no começo, o que é normal, tenha uma reserva para sobreviver por um tempo. Mas tente saber logo quando o lucro começará a chegar, senão você sempre ficará no vermelho.

Não desanime

O começo costuma ser sempre ruim. Sempre vai ter um gasto que você não esperava ou um cliente que deu aquele balão. Mas não perca a fé no seu taco. Com o tempo as coisas costumam melhorar.

Saiba quando parar

Este é um conselho que vem de encontro aos últimos dois. Se após um certo tempo de insistência você viu que o negócio não está indo pra frente e o dinheiro sumiu, então está na hora de repensar seus planos. Afinal, é melhor perder pouco dinheiro do que muito.

Sempre se atualize

Procure sempre melhorar o que você está fazendo. Faça cursos, descubra mais sobre o mercado ao qual está inserido, tente descobrir o que de novo e diferente está para chegar em sua área. Domine o tema com o qual está trabalhando.

Aposte na imagem

Parece papo de vendedor, mas sua imagem é o que mais de importante você tem. Não adianta vender um bom produto se a loja não tem credibilidade e o dono é mal-educado. Faça todos saberem quem você é, que seu negócio é de confiança. E anuncie sempre, mesmo em tempos de crise. Ser lembrado pelo cliente (e ser lembrado positivamente) é um fator fundamental para você se dar bem.

Essas são algumas dicas que podem ajudar, mas é bom deixar explicado que cada caso é um caso. É diferente abrir uma loja de roupas do que um restaurante. Ou abrir um bar do que fazer uma revista. Mas algumas informações servem para tudo. O importante é você saber onde está se metendo e também seguir as regras básicas (pague impostos, esteja registrado...). Boa sorte (com muito dinheiro no negócio)!