Futebol
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Futebol
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Futebol
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Pato mostra ao Corinthians que é ele quem manda

Pato mostra ao Corinthians que é ele quem manda
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Alexandro Pato conseguiu o que queria. Recusou proposta da China, desagradou os dirigentes corintianos e garantiu alguns meses em Londres. 

Seu acerto com o Chelsea mostra que, às vezes, um jogador pode e deve ter direito a opinião. E que nem sempre o dinheiro fala mais alto.

Segundo o UOL, Pato recusou um salário três vezes maior que recebe, caso aceitasse jogar no Tianjin Quanjian, clube chinês comandado por Vanderlei Luxemburgo e que levou Jadson, Luis Fabiano e Geuvânio. O Corinthians estava louco para vendê-lo, iria receber uma bela grana. Pato disse 'não', não era o que ele queria.

O atacante nunca escondeu seu desejo de voltar ao grande centro europeu. Seu salário já não é baixo, cerca de R$ 800 mil mensais, dinheiro que agora será pago pelo Chelsea. E Pato, vale sempre lembrar, já fez um pé de meia razoável nos últimos anos: não seria um mercado chinês que o seduziria.

O Corinthians ainda não sabe se levará alguma bolada com essa transferência de Pato: está tentando prorrogar o contrato com o jogador para ficar na torcida que ele tenha um grande desempenho agora para conseguir lucrar depois. Por enquanto, o clube paulista se contenta em se livrar do salário do atacante. Melhor do que nada: não fosse o Chelsea, o Corinthians teria em seu elenco um atleta insatisfeito.

O grande vencedor dessa história toda foi mesmo Pato. Tem tudo para conseguir ser titular no Chelsea, morar em Londres não é nada mal (ah vá!) e continuará ganhando um bom salário até o meio do ano, agora bancado pelos ingleses. E ainda sonha com a seleção brasileira. Difícil, bem difícil, mas sonhar não custa nada. 

River x Boca: mais um jogo com briga entre jogadores

Quando Boca Juniors e River Plate se enfrentam, podemos esperar muita rivalidade em campo. E a tensão do clássico muitas vezes extrapola e se mostra nas brigas e confusões entre atletas e torcedores.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Neste sábado (23/1), tivemos mais uma pancadaria no clássico argentino. Em amistoso em Mar del Plata, o River venceu por 1 a 0, mas a partida ficou marcada pela briga entre os jogadores. Foram cinco expulsos, nove cartões amarelos mostrados e uma cabeçada de Maidana no atacante Tevez.

Em maio do ano passado, quando os times se enfrentaram pela Taça Libertadores, a confusão foi por causa da torcida. Fãs do Boca lançaram gás de pimenta na direção dos jogadores rivais e a partida teve de ser suspensa.

Mas não são apenas os jogadores profissionais e a torcida que mancham a história desse clássico. Em 2009, jovens dos dois times infelizmente mostraram o quão forte é a rivalidade dos clubes, com uma batalha campal em jogo da categoria sub-14.

Não tem jeito mesmo. Quando Boca e River se enfrentam, podemos esperar muita rivalidade, lances ríspidos e uma intensa disputa entre os jogadores. Mas deveria para por aí: brigas e agressões já são demais.

#futebol

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por