AMOR

Culpada

Autor

Sinto muito por sentir pouco.
Me desculpa.
Eu me entrego, senhor policial.
Crime hediondo,
inafiançável.
Últimas palavras? Não é pessoal.

Acusada
de usar
os outros.
Prisão perpétua, sem reclamar.
Assim eu não machuco ninguém
por nunca ter aprendido a amar.

Me entrego sim,
antes de ser denunciada.
Antes de aparecer no jornal.
Antes dos que a mim se entregaram
mandem prender.
Antes que eu vire marginal.