TV
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
TV
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
TV
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Os 6 mais famosos bordões do humorista Paulo Silvino

Fábio Garcia
há 2 meses20.1k visualizações

Na manhã desta quinta-feira (17) faleceu aos 78 anos o humorista Paulo Silvino, figurinha bem comum nos programas humorísticos da Globo. Em sua carreira de décadas dedicadas à comédia, Paulo Silvino nos presenteou com personagens bem marcantes que tiveram seus bordões abraçados pelo país inteiro. Duvida? Vamos conferir as frases de seus personagens que ainda são bem lembradas pelo público.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Os 6 mais famosos bordões do humorista Paulo Silvino

(Reprodução/ Globo)

"Ai como era grande!". Muitos dos personagens de Paulo Silvino tinham o hábito de bradar essa frase com toda a energia possível, de preferência com os olhos bem esbugalhados. Seja no telefone ou na sala de aula, sempre era um bom momento para o personagem de Silvino exclamar com sentia saudade desse algo que era bem grande. Nunca falou o que era, mas o público com mais malícia pegava a segunda intenção de longe.

"Dandá pra ganhar tentem". A Escolinha do Barulho da Record era uma reunião dos personagens mais surreais, e lá no fundão da classe sentava Olegário Carnaval, interpretado por Paulo Silvino. O personagem, que ele ressuscitou de décadas anteriores, era uma boneca bem esquisita, com roupa de menininha e um bigode. Quando o professor pedia para ir até sua mesa, ela só se locomovia se todo mundo cantasse "dandá pra ganhar tentem".

Os 6 mais famosos bordões do humorista Paulo Silvino

(Reprodução/ Record/Montagem)

"Dá uma pegadinha aqui". Olegário Carnaval também era uma boneca multifuncional, pois tinha um recurso maravilhoso de falar "mamã" quando lhe apertavam a barriga. Por isso, sempre que estava ao lado de alguém, era bem comum vê-la pedindo para dar uma pegadinha aí.

Os 6 mais famosos bordões do humorista Paulo Silvino

(Reprodução/ Globo)

"Pezinho pra frente, pezinho pra trás". Durante o Zorra Total, Paulo Silvino ganhou uma esquete ao lado de Orlando Drummond (o eterno Seu Peru) em que interpretavam índios. Nesse quase stand-up comedy indígena, os dois sempre contavam as diferenças de pensamentos entre os índios e os caras pálidas. Entre uma e outra piada, eles faziam um pequeno movimento de andar pra trás e depois para frente (sem qualquer sincronia).

"Cara, crachá". Seu personagem mais conhecido vem a ser o porteiro Severino, um pobre funcionário do Projac que era sempre chamado para quebrar um galho nas gravações do diretor estressado. Antes Severino fazer o papel de um poste ou de qualquer coisa parecida, ele sempre lembrava qual era a função descrita em seu contrato de trabalho: olhar a cara e o crachá do funcionário da Globo. Depois de repetir "cara crachá cara crachá cara crachá", ele sempre olhava o crachá do diretor e via um ator diferente da emissora.

Os 6 mais famosos bordões do humorista Paulo Silvino

(Reprodução/ Globo)

"Isso é uma bichooona". Ainda como Severino, outro bordão bem politicamente incorreto era dito toda vez que o diretor ensinava para o porteiro como ele deveria interpretar o objeto inanimado. Normalmente o diretor exagerava na atuação e fazia algo afetado, e Severino logo avisava que aquilo é uma bichona.

***

Vamos lembrar que boa parte dessas frases foram ditas durante os anos 60, 70 ou então durante a primeira fase do Zorra Total, e não correspondem ao humor aceito hoje em dia, soando inclusive preconceituosas. Mas também é bom recordar que, ao participar do moderno Zorra, Paulo Silvino abandonou de vez as piadas de tom homofóbico e estava mais focado em praticar humor político.

Essa propaganda de creme dental parece o roteiro de um filme pornô

Fábio Garcia
há 2 meses47.7k visualizações

Não costumo prestar muita atenção às historinhas das campanhas publicitárias. Normalmente prefiro desligar meu cérebro nesse momento e receber a mensagem do comercial por osmose. No entanto, uma propaganda recente da Colgate para seu creme dental é tão surreal que na hora meu cérebro acordou para prestar atenção naquilo. O motivo? Parecia que eu estava acompanhando a trama de um filme pornô homossexual. NUMA PROPAGANDA DE PASTA DE DENTE!.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Essa propaganda de creme dental parece o roteiro de um filme pornô

(Reprodução/ YouTube)

Vemos comerciais de creme dental desde os tempos de Adão e Eva (provavelmente propagandas com a serpente oferecendo creme dental sabor maçã), e desde então temos todos os clichês possíveis. É o paciente com bafinho, o dentista sorridente com uma recomendação aprovada por 9 entre 10 dentistas e efeitos computadorizados que representam como a escovação lhe protegerá de uma cárie. Nada de muito diferente, mas a Colgate quis inovar.

Em sua última campanha, que atualmente pode ser vista nas maiores emissoras do país, houve uma grande reviravolta ao se colocar uma intensa química sexual oculta entre médico e paciente. Tudo começa quando um rapaz esportista vai visitar seu dentista. Por algum motivo que parece sensato na história desse comercial, o rapaz decide subir correndo as escadarias que levam ao consultório de seu médico dental porque, né... não basta dieta low-carb, precisa fazer um aeróbico na escada do consultório do seu dentista.

4E28D014-C74B-4C11-9761-177E0F54CAA4
4E2DB745-19DC-4D54-BEBD-E390DDDF5678

Sem ser anunciado, o esportista entra na porta do consultório é recebido com uma felicidade inesperada de seu dentista chamado Eduardo. Em vez de questionar coisas óbvia do tipo "como você entrou aqui no prédio sem o porteiro me avisar", dr Eduardo aborda seu paciente falando "Tá fortão, heim irmão" e apalpando generosamente o bíceps do rapaz.

4E28D014-C74B-4C11-9761-177E0F54CAA4
4E2DB745-19DC-4D54-BEBD-E390DDDF5678

E se você pensa que o paciente logo cortou a onda de seu dentista assanhado, fique sabendo que ele apenas faz aquela força no muque e explicou que estava fazendo muita flexão e muito abdominal. A trama neste ponto ficou meio confusa, e pessoas nos comentários do vídeo já começaram a questionar que raios de academia o paciente frequenta:

Essa propaganda de creme dental parece o roteiro de um filme pornô

Mas beleza, vamos parar de questionar a história desse comercial porque mesmo grandes clássicos do cinema têm um ou outro furo de roteiro. Vai que a flexão que cresce bíceps é a porta que cabe apenas a Rose de Titanic! Bem, depois de apalpar os músculos de seu paciente exibicionista, eu já estava preparado para Dr Eduardo começar beijos quentes com o rapaz, até que...

Essa propaganda de creme dental parece o roteiro de um filme pornô

POXA, DR EDUARDO! VOCÊ CORTOU O CLIMA!!! Provavelmente em meio ao assunto dos exercícios de academia, Dr Eduardo percebeu um certo odor pútrido vindo da boca de seu paciente e decidiu transformar aquele flerte em um comercial de creme dental da Colgate. Inclusive com a presença dela...

Essa propaganda de creme dental parece o roteiro de um filme pornô

...A COMPUTAÇÃO GRÁFICA ilustrando as funções da pasta de dente com a qualidade gráfica de um Xbox 360.

Insatisfeito que seu plano de pegar o Dr Eduardo acabou se transformando em um merchandising descarado de creme dental, o paciente então tornou-se mais incisivo: "Bom, eu cuido da minha boca. E você malha esses braços aí!", disse enquanto pegava no bíceps de Dr Eduardo. Ao final da propaganda, os dois trocam um sorriso que transparece o amor e o desejo carnal iminente.

Não sei quem foi que escreveu o roteiro dessa peça publicitária, assim como não faço ideia se a vontade do cliente era exibir um romance homossexual velado dentro de uma propaganda de pasta de dente, mas reconheço que o negócio chama bastante a atenção. Recomendo assistir ao comercial no YouTube (assim como recomendo escovar os dentes três vezes ao dia).

Também estamos torcendo para o Dr Eduardo ser chamado para uma propaganda com menos humor involuntário.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
fabio.garcia
Escrevo sobre TV desde 2012. Amo programa bom, e ainda mais se for ruim. @fabiogaj