ENTRETENIMENTO

A Record achou uma mina de ouro nas reprises de novelas da tarde

Fábio Garcia
Author
Fábio Garcia

Acompanhar os números de audiência das emissoras sempre rende alguma descoberta inesperada. Algo que tenho percebido há algum tempo foi que a Record conseguiu fidelizar o público reprisando suas novelas na faixa da tarde. Sempre na faixa de 6 ou 7 pontos de média (um índice muito bom para os parâmetros do canal), as reprises acabam sendo uma alegria e uma tristeza ao mesmo tempo para a emissora.

A Record achou uma mina de ouro nas reprises de novelas da tarde

(Reprodução/Record)

A Record já tentou de tudo um pouco para conseguir audiência na parte da tarde, indo desde reprises intermináveis de "Todo Mundo Odeia o Chris" até mesmo o infame "Programa da Tarde", cuja única contribuição para o público brasileiro foi esse antológico momento estrelado pela falecida Helô Quebra-Mansão:

Quando a Record decidiu reprisar suas novelas, houve quem apostasse que iria apenas saturar a faixa vespertina já entupida por reprises do SBT. O público dos folhetins acabaria se diluindo por várias emissoras e logo esse tipo de programa deixaria as grades de programação.

O que rolou, na verdade, foi que a Record começou a ganhar audiência e o SBT optou por exibir novelas inéditas mexicanas em vez de exibir pela enésima vez a "Pícara Sonhadora". As reprises da Record na faixa da tarde andam tão boas de público que em muitos dias chegam a superar a audiência novela não-bíblica inédita da emissora, "Belaventura".

Isso quer dizer que a Record descobriu uma mina de ouro e que agora é só reprisar suas novelas na faixa da tarde e ganhar audiência? Bem, não é dessa forma. Assim como uma mina de ouro, o estoque de novelas que a Record pode exibir é bem finito. Há um motivo para isso.

A Record achou uma mina de ouro nas reprises de novelas da tarde

(Reprodução/Record)

A retomada da dramaturgia da emissora se deu em 2004 com "A Escrava Isaura" e a fase deu uma freada violenta 9 anos depois, com "Vitória", após uma série de fracassos. Só depois que ela reativou a área com tudo através das novelas bíblica e da terceirização dos serviços. Ou seja, se excluirmos as novelas que afundaram na audiência como "Balacobaco" e "Máscaras", vamos dizer que a Record tem cerca de uns 7 anos de novelas boas para reprisar. Com duas exibições por dia, o estoque não dura muito.

Vai chegar uma hora que a Record vai pagar por ela mesma não ter dado a devida importância para a dramaturgia do canal e ficará sem ter o que reprisar. Mas, enquanto esse dia não chega, dá-lhe re-exibições vespertinas de alguns sucessos (e outros nem tanto). Mesmo já tendo exibido as ótimas "Prova de Amor", "Vidas Opostas" e "Vidas em Jogo", vale lembrar que a emissora ainda não reprisou um de seus maiores sucessos de todos os tempos:

Vem logo, reprise de "Os Mutantes"!!!