REALITY SHOW

Denúncia grave em "A Fazenda": parece que o jogo virou para a Record, não é?

Fábio Garcia
Author
Fábio Garcia

A Record foi uma das emissoras que mais se empenharam em atacar a Globo quando algum episódio do "Big Brother Brasil" virava caso e polícia. Agora que a crise está rolando dentro de um reality show dela, a emissora do bispo prefere fingir que nada está acontecendo.

Denúncia grave em "A Fazenda": parece que o jogo virou para a Record, não é?

(Reprodução/Record)

Já falei em uma outra matéria sobre a estranha relação de admiração e ódio que a Record tem com a Globo, e até mesmo telejornais costumam ser usados para atacar a concorrente. Tanto em 2012 quanto agora no começo de 2017, a Record fez uma ampla cobertura jornalística das polêmicas do "Big Brother Brasil" que acabaram na expulsão de participantes.

O primeiro caso foi durante o "BBB 12". Após uma festa em que bebeu um monte, Monique Amin acabou trêbada e supostamente teria sido abusada pelo modelo Daniel Echaniz. Na época o diretor Boninho deu uma analisada nas fitas e optou por expulsar Daniel do programa, dando muita pauta para os jornalísticos da Record. No fim, Monique declarou que não tinha condições de dizer se havia sido abusada e Daniel foi inocentado do caso.

Denúncia grave em "A Fazenda": parece que o jogo virou para a Record, não é?

(Reprodução/Record)

O segundo caso da série "Polícia na Globo" repercute até agora, pois rolou no "BBB 17". O cirurgião Marcos Härter vivia uma relação meio abusiva com Emilly, sempre discutindo e a minimizando. Após uma festa e já bem maluco das ideias, Marcos encurralou a namorada na parede e gritou de forma agressiva. Some a isso as marcas que ele deixou na sister, e Marcos foi acusado de agressão, sendo expulso do "Big Brother Brasil" num caso que teve grande cobertura de quem? Sim, dela mesma, a Rede Record.

Denúncia grave em "A Fazenda": parece que o jogo virou para a Record, não é?

(Reprodução/Record)

Quem vê essas duas imagens então deve imaginar que a Record é uma emissora super comprometida com denúncias de violência contra mulher, certo? Mas parece que nessa casa de ferreiro o espeto é de pau. Após uma festa que rolou no reality "A Fazenda - Nova Chance", a participante Monique Amin (que foi a MESMA da polêmica do BBB12 que citei ali em cima) acabou de novo envolvida num suposto assédio. A participante bebeu muito e foi auxiliada pela peoa Flávia (ex-BBB7). Acontece que o ex-jogador Dinei teria se aproveitado da situação etílica de Monique e a internet ficou furiosa.

Durante todo o sábado, uma hashtag pedindo a expulsão de Dinei esteve nos assuntos mais comentados no Twitter, e os internautas esperavam que a emissora tomasse alguma atitude no programa do dia. Infelizmente, a Record simplesmente fingiu que nada aconteceu e não exibiu cena alguma da embriaguez de Monique e nem da proximidade de Dinei. Nadinha.

Tal atitude não parece coerente nem com a própria Record, que em edições anteriores de "A Fazenda" expulsou uma lutadora por agredir outro participante e até um anônimo que ameaçou o coleguinha com um machado (!!!).

Denúncia grave em "A Fazenda": parece que o jogo virou para a Record, não é?

(Reprodução)

Ignorar o caso de Dinei, que precisa ser investigado decentemente e de forma transparente com o público, mostra que a Record não estava preparada para esse reality show. Depois de reunir a nata dos participantes mais problemáticos de várias emissoras (o próprio Marcos Härter ou o Yuri), era de se esperar que ao menos a Record estivesse pronta para um gerenciamento de crise. O jeito é esperar que a emissora se manifeste, mesmo que atrasada.