ENTRETENIMENTO

Não resta dúvida sobre qual a protagonista mais sofredora de "A Força do Querer"

Автор

Entra novela e sai novela, uma coisa sempre constante é que teremos uma mocinha songamonga que vai sofrer horrores por meses a fio. No entanto, no caso de "A Força do Querer" é difícil determinar qual a mais sofredora porque essa trama contou com um trio de protagonistas, mas sempre é possível analisar a trajetória de cada uma para ver quem comeu o famoso pão que o Diabo amassou.

Não resta dúvida sobre qual a protagonista mais sofredora de "A Força do Querer"

(Reprodução/Gshow)

Por mais que as novelas brasileiras sejam bem mais "densas" que as novelas mexicanas, ainda recorremos ao clichêzão da mocinha sofredora para ganhar a torcida do público. Claro que alguns autores no passado perderam totalmente a mão e criaram mocinhas caga-regras (tipo a Cristina de "Império" que ficava toda hora reclamando que os personagens não emitiam corretamente suas notas fiscais) ou a sofredora em excesso (como a Tereza de "Velho Chico" que derrubou lágrimas o suficiente para encher uns três rios São Francisco), mas por sorte Gloria Perez foi um pouco mais branda nos sofrimentos de suas protagonistas. Vou analisar cada uma delas, Ritinha (Isis Valverde), Jeiza (Paolla Oliveira) e Bibi (Juliana Paes).

Não resta dúvida sobre qual a protagonista mais sofredora de "A Força do Querer"

(Reprodução/Globo)

A amorosa sereia Ritinha. Logo nas imagens promocionais da novela víamos bastante a imagem da sereia e Isis Valverde praticando a arte de prender a respiração (a atriz aprendeu uma técnica na qual ela conseguia ficar 5 minutos inteiro embaixo d'água com a roupa de escamas), então era fácil achar que esta seria a maior das protagonistas da novela. Embora a personagem tenha sim um papel importante na trama, Ritinha passou longe das famosas mocinhas sofredoras. Na verdade, podemos dizer que ela era uma bela anti-heroína, porque sua função foi fazer OS OUTROS sofrerem.

Veja bem: Ritinha passou anos seduzindo o machistinha Zeca (Marco Pigossi), acabou trazendo parte do Parazinho para o caríssimo Rio de Janeiro (imagina quanto de aluguel eles gastaram), seduziu o playboy Ruy (Fiuk), acabou com o casamento de Cibele (Bruna Linzmeyer), enganou a sogra sobre o parentesco do filho e acabou com o relacionamento de Zeca com a policial Jeiza. Ritinha não merecia um final feliz não, ela merece pagar pela conta da terapia de tantos personagens que ela perturbou na trama.

Não resta dúvida sobre qual a protagonista mais sofredora de "A Força do Querer"

(Reprodução/Globo)

A passional primeira-dama do tráfico Bibi Perigosa é outra que tinha tudo para ser uma baita de uma sofredora, mas acabou ganhando tons de anti-heroína como Ritinha. Certo, ela sofreu um pouco no começo porque era enganada cegamente por Rubinho (Emílio Dantas), mas depois pôs as asinhas de fora quando incendiou o restaurante de Dantas (Edson Celulari) só para fazer uma queima de arquivo literal.

Na verdade, podemos classificar a Bibi mais como burra do que como sofredora, porque nesses meses de 'A Força do Querer' a personagem postou fotos em rede social exaltando dinheiro e armas do tráfico, se envolveu com pessoas perigosas e era a única que não percebia que Rubinho não prestava. Aí nessa reta final foi traída pela novinha Carine (a ex-chiquitita Carla Diaz) e a sensação que o público de casa teve foi de "tooooma, sua burra".

Não resta dúvida sobre qual a protagonista mais sofredora de "A Força do Querer"

(Reprodução/Globo)

A maior sofredora de todas, sem sombra de dúvida, foi a policial Jeiza. Representante total da bondade e das habilidades multitask, Jeiza combateu o crime, amava os animais, acabou com o tráfico no Morro do Beco, servia de psicóloga, lutava MMA, garantiu que Raul Gazolla conseguisse um emprego na Globo e era pau para toda obra. Mas essa aí sofreu, e como sofreu.

Já perdemos as contas das desilusões amorosas vividas por Jeiza, que acabou perdendo Zeca para Ritinha e Caio (Rodrigo Lombardi) para Bibi. Ela também já perdeu um cinturão importante porque foi atrás de seu amor na cadeia e, a poucos capítulos do fim, a autora não tirou nenhum par romântico da cartola para essa heroína policial (se bem que ela não precisa de homem para ser feliz, né?). Mas o maior sinal de que Jeiza foi a maior sofredora de "A Força do Querer" foi esse:

Não resta dúvida sobre qual a protagonista mais sofredora de "A Força do Querer"

(Reprodução/Instagram)

Zeca homenageou sua então namorada dando o nome dela NUM ÔNIBUS BALADA. Aí não tem quem resista, Jeiza é a mais sofredora e precisa de muita terapia para esquecer que seu nome foi eternizado num ÔNIBUS BALADA.