LGBT

O programa infantil da Pablo Vittar na Globo é o melhor boato do ano

Autor

Se antigas civilizações se informavam por intermédio de publicações em postes, podemos afirmar que a maior fonte de notícias do brasileiro atual é o WhatsApp. O aplicativo (carinhosamente chamado de Zap-Zap) é um dos meios mais fáceis para se compartilhar uma notícia chocante no grupo da família.  O problema é quando se trata de um fake news colossal. Foi o que aconteceu nesses dias com uma notícia envolvendo a cantora drag Pablo Vittar.

O programa infantil da Pablo Vittar na Globo é o melhor boato do ano

(Reprodução/Globo)

A notícia, publicada por um site que escreve muitas notinhas polêmicas em troca de cliques, conta que a drag Pablo Vittar assinou um contrato com a rede Globo. Não só isso, ela o fez para apresentar um programa infantil diário, chamado "Pablo Kids". Nesse suposto programa, a Xuxa do século XXI ensinaria sexualidade, igualdade de gêneros e ainda teria um quadro chamado "Criança Viada" para apresentar crianças homossexuais e trans.

Segundo a "notícia", a Família Tradicional Brasileira (essa entidade) já cancelou seus pacotes de TV por assinatura por causa dessa ~afronta~ de Pablo Vittar e, segundo dados tirados de sabe-se-lá-onde, a Globo já perdeu 50 milhões de espectadores (mais ou menos METADE da galera que assiste ao canal). Embora seja tremendamente absurda, muita gente viu essa notícia replicada em sites religiosos e tomou como verdade sem nem pensar que o negócio não faz o menor sentido.

O programa infantil da Pablo Vittar na Globo é o melhor boato do ano

(Reprodução/Globo)

Vamos acompanhar por partes. Em primeiro lugar, Pablo Vittar assinou sim um contrato com uma emissora de televisão, mas não a Globo. A drag ganhou um contrato do Multishow para apresentar um programa que nada tem a ver com crianças. Até cogitaram que ela iria assumir o "Música Boa" da Anitta, mas Pablo ganhará um formato próprio mesmo (e que espero não ter nada a ver com os horríveis programas de humor do Multishow).

Próximo elemento da notinha mentirosa: a Globo não tem a menor intenção de exibir um programa infantil, ainda mais matutino e diário. Nos últimos anos a emissora foi extinguindo sua programação infantil (motivada principalmente pelas leis sobre publicidade infantil) para dar lugar a programas que rendem um pouco mais de dinheiro com merchandising, como o "Encontro com Fátima Bernardes" e o "É de Casa". A emissora então criou seu próprio canal infantil, o Gloob, para atingir o público mais novo.

E agora a pergunta mais importante do dia: e qual é o problema de se ensinar sobre sexualidade ou igualdade de gênero para as crianças? Esses assunto deveriam ser discutidos na televisão, na sala de aula, em casa etc, mas acabam sendo deixados de lado por influência de uma ala mais conservadora que mantém esses valores por seus próprios motivos.