NOTÍCIAS

TV portuguesa acusa Igreja Universal e Edir Macedo de tráfico de crianças

Autor

Pegando todo mundo de surpresa, a emissora de televisão de maior audiência de Portugal anunciou uma longa reportagem em dez programas para falar sobre uma polêmica acusação: a Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo, estaria envolvida no tráfico ilegal de crianças em Portugal.

TV portuguesa acusa Igreja Universal e Edir Macedo de tráfico de crianças

(Reprodução/TVI)

A informação sobre a denúncia começou a viralizar nas redes sociais brasileiras na noite do último domingo (10), mais especificamente quando caiu na internet o vídeo narrando o que seria a tal reportagem sobre a Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus). Com o título de "O Segredo dos Deuses", a equipe da TVI teria descoberto um lar ilegal ligado à Igreja Universal de onde teriam sido roubadas crianças. Ainda na chamada eles comentam sobre mães biológicas que ficaram sem os filhos numa rede ilegal de adoções.

Para uma denúncia tão grave quanto essa, a TVI se muniu de dezenas de documentos supostamente provando a veracidade de sua informação. No site oficial da TVI está até disponível uma prévia, com os jornalistas conversando sobre o processo de investigação que culminou na reportagem e mostram o calhamaço de papéis que teriam como prova.

Com uma denúncia tão grande, fica difícil imaginar qual pode ser a repercussão dessa informação aqui no Brasil. Como bem se sabe, Edir Macedo é, além de fundador e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, dono da RecordTV, e sua igreja é uma das que mais injetam dinheiro na emissora. As próximas duas semanas devem ser de pura apreensão nos bastidores tanto da IURD quanto do grupo Record, porque qualquer coisa pode acontecer.

OUTRO LADO

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Igreja Universal do Reino de Deus se pronunciou a respeito das acusações. Em nota, a Iurd afirma que a matéria que será exibida tem como base o depoimento de Alfredo Paulo Filho, um ex-integrante da Igreja Universal que saiu em 2013 e que tenta agora difamar a igreja em Portugal. A assessoria ainda afirma que as adoções feitas pelo lar não foram ilegais e que a investigação da TVI tem furos.