OUTROS

Baladeiro e indisciplinado, Adriano desistiu da bola em 2009. E muitos o querem

Fábio Hecico
Author
Fábio Hecico

Adriano Imperador é um exemplo de má conduta de um jogador profissional de futebol. Com um futuro brilhante pela frente e tudo para ser um dos grandes nomes do País, ele se perdeu na vida boêmia, de farras e baladas, e hoje é um 'quase acabado'. Quase pelo fato de o centroavante, aos 33 anos, mas sem jogar para valer desde 2009, iniciar o ano cobiçado por vários clubes. Um investimento com desvalorização certa que ainda tem gente que se arrisca a fazer.

Baladeiro e indisciplinado, Adriano desistiu da bola em 2009. E muitos o querem

E não é papo de assessor querendo promover a imagem do jogador. O Cruzeiro, de Porto Alegre, acredita que pode recuperar o jogador.Assim com a Roma (2010),o Corinthians (2011), Flamengo (2012) e Atlético-PR (2014) acreditaram e quebraram a cara. Todos tentaram "ressuscitar o jogador e perderam tempo e dinheiro."

Os gaúchos creem que podem fazer o milagre. "Temos uma possibilidade de recuperar o jogador. Com 32 anos (na verdade, 33), ele ainda pode render muito. Vamos continuar conversando com esse objetivo", mostra esperança, ou total desinformação,o vice-presidente do Cruzeiro, Carlos Matzenbacher.

Baladeiro e indisciplinado, Adriano desistiu da bola em 2009. E muitos o querem

Gostaria de colocar o atacante em campo no Gauchão, que começa em duas semanas. Adriano que não atua desde 2014. O pior é que o Cruzeiro-RS tem concorrência de União Rondonópolis-MT e Tupi-MG. Sem contar os abaixo-assinados das torcidas de Náutico e Flamengo pedindo a chegada do Imperador para 2016. Dá até graça.

Dono de chute potente com a perna esquerda, habilidoso para anotar gols também com a cabeça, Adriano 'desistiu' de jogar futebol após a conquista do Brasileirão de 2009 com o Flamengo, no qual foi um dos artilheiros com 19 gols. Aquela campanha o tornou alvo da Roma.

Ele voltou para a Itália. E então começou sua vida louca. Foram apenas 8 jogos em nove meses e a imagem desgastada por seguidos atos de indisciplina e polêmicas. O clube italiano ficou irritado ao vê-lo bebendo no Rio e autuado na Lei Seca - perdeu a carteira de motorista. Depois, ainda o viu repetir as 'loucuras' na Itália. Festa com bebidas e mulheres e a falta a um treino após longa balada resumiram sua passagem pela Europa.

Baladeiro e indisciplinado, Adriano desistiu da bola em 2009. E muitos o querem

Era o fim? Que nada. O Corinthians resolveu fazer a aposta no jogador. E ainda o deu a camisa 10. Levou enorme prejuízo financeiro e o dispensou por justa causa após mais de 40 atrasos em treinos, faltas, multas, e excesso de peso que não acabava nunca.Com mais de 100 quilos e cheio de preguiça, Adriano brigou com a comissão técnica para evitar subir na balança.

Baladeiro e indisciplinado, Adriano desistiu da bola em 2009. E muitos o querem

As portas, incrivelmente, ainda se abriram para Adriano. Era a vez de o Flamengo mostrar que Adriano era a sua cara. Isso três anos após seu brilho de 2009. Mas Adriano era outro. E comprovou isso em três meses de Gávea. Acabou dispensado, sem nenhum jogo realizado por 'quebra de acordo'. Novamente o menino que adora as churrascadas e bebedeiras na comunidade da Vila Cruzeiro cometeu deslizes de conduta.

Baladeiro e indisciplinado, Adriano desistiu da bola em 2009. E muitos o querem
Baladeiro e indisciplinado, Adriano desistiu da bola em 2009. E muitos o querem

Por fim veio o Furação. O Atlético-PR também deu soco em ponta de facas. Fez festa por Adriano e o viu em festa após o time cair na Libertadores. A falta ao treino após ser visto em show de Anitta garantiu nova rescisão. A última da carreira até então. Adriano foi uma marolinha em Curitiba. Só cinco jogos, dois entrando nos minutos finais, e só um gol.

Baladeiro e indisciplinado, Adriano desistiu da bola em 2009. E muitos o querem

Todo clube devia usar Adriano como exemplo de má conduta. Mas ainda há bestas que acreditam nele. Vamos esperar para ver quem será o próximo a se decepcionar.