OUTROS

Fãs de Los Angeles ganham time para torcer o ano todo com a volta dos Rams

Fábio Hecico
Автор
Fábio Hecico

O povo de Los Angeles estava órfão. Tinha time no soccer, dois na NBA, um no beisebol e outro no hóquei.Faltava no futebol americano.A espera durou 21 anos, mas finalmente a festa está completa. Com a confirmação do Saint Louis Rams voltando para a cidade, os californianos agora não terão "descanso" na temporada. Não importa o mês, sempre terão um estádio ou uma arena e uma equipe para acompanhar e apoiar.

Fãs de Los Angeles ganham time para torcer o ano todo com a volta dos Rams

Depois de LA Strikers (Major League Soccer), LA Dodgers (Major League Beisebol), LA Clippers e LA Lakers (NBA) e LA Kings (NHL), está oficializado o LA Rams, time que já defendeu acidade até 1994 e conquistou um título por lá, em 1951. Em 1945 (Cleveland) e em 1999 (Saint Louis) a taça veio fora da Califórnia.

Fãs de Los Angeles ganham time para torcer o ano todo com a volta dos Rams

Antes da conclusão de seu novo estádio, em Inglewood, previsto para 2019 (se chamará Farmers Field, com 80 mil lugares), os Rams jogarão no LA Coliseum. O anúncio de sua mudança veio na terça-feira à noite: 30 dos 32 donos de equipes que disputam aNFL votaram pela mudança.Mas os Rams ainda podem ganhar concorrência. O Okland Raiders ainda estuda mudança para Los Angeles, enquanto o San Diego Chargers desistiu da mudança.

Fãs de Los Angeles ganham time para torcer o ano todo com a volta dos Rams

A capital mundial do cinema e da televisão, com mais de 300 museus, agora, terá ainda mais um motivo de lazer. Mas que os Rams precisam melhorar muito, isso é de fato. O quarterback Nick Foles é bom jogador, tem o running back Todd Gurley, o wide receiver Stedman Bailey e Wels Welker. Do mais, é necessário a chegada de jogadores consagrados. Stan Kroenke, dono do time, promete mudanças e a volta das vitórias.

Fãs de Los Angeles ganham time para torcer o ano todo com a volta dos Rams

Pela mudança, Kroenke, acionista majoritário do inglês Arsenal, desembolsou a bagatela de R$ 2 bilhões. "Foi doloroso, pois sei que os cidadãos de Saint Louis terão para sempre como um tesouro o fato de ver o time ter avançado a duas finais de Superbowl e vencido uma", disse Kroenke. Ele, contudo, queria a mudança de qualquer maneira.