Histórias dos Esportes
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Histórias dos Esportes
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Histórias dos Esportes
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Brasileiros, com times capengas, desafiam o poder argentino na Libertadores

Fábio Hecico
há 2 anos3 visualizações

Pode acontecer, mas dificilmente o título da Copa Libertadores deste ano escapa de equipes brasileiras ou argentinas. Dos 32 participantes, 6 são hermanos e outros 5 verde-amarelo. A pergunta é: temos como encarar os arquirrivais e retomar a hegemonia na América após dois anos em branco?

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Brasileiros, com times capengas, desafiam o poder argentino na Libertadores

San Lorenzo, campeão de 2014 e River Plate, atual detentor do título, estão confirmados e com equipes fortes. O Boca Juniors tem um poder ofensivo grande com Tevez (caso resista à oferta milionária que recebeu da China) e Osvaldo e sempre é temido, enquando o Racing aposta num quarteto de respeito. Huracán e Rosário Central correm por fora com defesas sólidas.

Enquanto os argentinos esbanjam confiança e não escondem o favoritismo, os brasileiros rastejam.

O Corinthians, um dos favoritos antes do desmanche, agora luta para se reconstruir.
Bons reforços chegaram, como Guilherme, Giovanni Augusto, Marlone, Balbuena e André. Mas falta o entrosento, primordial para competição de tiro curto e mata-matas.

O Palmeiras iniciou o ano amargando tropeços e viu a harmonia após a conquista da Copa do Brasil ruir. Larga esta noite no Uruguai sob pressão diante de um frágil River Platéia genérico. Marcelo Oliveira ou se reinventa ou comerá bacalhau na Semana Santa em outra freguesia.

O São Paulo contratou um técnico acostumado a arrumar defesas. O ano nem bem começou e o setor já dá dor de cabeça em Edgardo Bauza. Ganso alterna altos e baixos e o time é outro que causa enorme desconfiança.

Atlético-MG e Grêmio manteriam os elencos e ainda se reforçaram. Largam na frente, correto? Não, os elencos são bons, mas a largada no ano é nada animadora.

Vão se superar? Ou pelo terceiro ano não teremos times na final? De certo é que na Argentina já imaginam até uma decisão local - para isso três equipes teriam de chegar às semifinais.

O Boca só fala na decisão. Mas precisará que Osvaldo cure logo o dedo quebrado e que Tevez 'desencanta'. O jogador mais valioso do torneio empacou após os atrasos de salário. Curioso, não?

Brasileiros, com times capengas, desafiam o poder argentino na Libertadores

O River Plate contratou D'Alessandro e está radiante na busca pelo segundo título segundo. O São Paulo que se cuide pois estão na mesma chave.

Brasileiros, com times capengas, desafiam o poder argentino na Libertadores

O Racing tem o artilheiro Bou, Gabriel Milito, Óscar Romero e Lisandro López como armas para detonar as defesas adversárias.

Brasileiros, com times capengas, desafiam o poder argentino na Libertadores

E não menosprezam San Lorenzo, Rosario Central e Huracán com suas potentes torcidas.

Brasileiros, com times capengas, desafiam o poder argentino na Libertadores
Brasileiros, com times capengas, desafiam o poder argentino na Libertadores


Está Libertadores ainda conta com experientes e perigosos times como os uruguaios Nacional e Peñarol e o paraguaio Olímpia. É melhor o Brasil começar a colocar as barbas de molho, pois o cheiro de vexame paira no ar.

Lágrimas, bela homenagem a Kobe, show de basquete. Jogo das Estrelas emocionou

Fábio Hecico
há 2 anos1 visualizações

Quem conseguiu segurar as lágrimas está mentindo. Quem não pulou no sofá para aplaudir um lance genial, provavelmente dormia. Com enorme emoção, lances acrobáticos de tirar o fôlego, o Jogo das Estrelas deste domingo vai entrar para a história como um dos melhores, senão o melhor de todos os tempos.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Lágrimas, bela homenagem a Kobe, show de basquete. Jogo das Estrelas emocionou

Com a tecnologia avançada, as pessoas deviam guardar para sempre o jeito americano, com enorme pitada canadense, a maneira de se eternizar um ídolo e de brindar o público com um espetáculo de verdade. Sim, o último All Star de Kobe Bryant na NBA foi magnífico. Uma festa de dar inveja a qualquer um esportista.

Escutar do lendário Magic Johnson que nunca mais haverá um jogador como ele nos Lakers é de arrepiar. Palavras de gênio são indiscutíveis. E lógico que não dá para segurar as lágrimas. Kobe ficou com olhos marejados.

Após 20 anos de brilhante carreira com a camisa amarela de Los Angeles, o mais votado para o All Star da NBA era a atração da noite no Canadá em seu 18° jogo entre os maiores.

Lágrimas, bela homenagem a Kobe, show de basquete. Jogo das Estrelas emocionou

Ver todo mundo gritando "Kobe, Kobe", quando ele definitivamente se aposentou do Jogo das Estrelas, restando pouco mais de um minuto, foi marcante. Já havia sido no anúncio de sua entrada, com direito a fogos.

Kobe viu os monstros da NBA o reverenciando num vídeo, recebeu palmas e carinho. E agradeceu. Nós é que devemos agradecê-lo. Gênios deviam ser eternos, jogar a vida toda. Mas o corpo pede um descanso.

Aos 37 anos, um menino ainda, Kobe vê suas limitações físicas darem números finais à carreira. Temos ainda alguns joguinhos para curtir sua magia. Pena os Lakers estarem tão fracos.

All Star Games agora é coisa do passado. Mas temos os vídeos. Seus 10 pontos, 7 assistências e cinco rebotes nos Canadá. Sua despedida linda, só com feras do seu lado.

Lágrimas, bela homenagem a Kobe, show de basquete. Jogo das Estrelas emocionou

Tudo o que ele fez de melhor, fizeram por ele neste domingo. Westbrook ganhou o MVP pelo segundo ano seguido após cravadas sensacionais. Stephen Curry fechou o jogo com cesta de três do meio da quadra e o placar acabou co recorde de pontos: 369 diante de 321 de outra edição.
Recordes, marcas surpreendentes tido o que Kobe sempre buscou e conseguiu.

Lágrimas, bela homenagem a Kobe, show de basquete. Jogo das Estrelas emocionou

E, claro, com mais uma vitória. O Oeste fez 196 a 173. O Leste teve como consolo, o cestinha da noite: Paul George, com 41 pontos. Para nós, os fãs, resta só dizer um "obrigado".

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por