Histórias dos Esportes
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Histórias dos Esportes
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Histórias dos Esportes
ic-spinner
Hikayeni paylaş
Sevdiğin hikayeleri ve yazarları bul ve takip et. İlham al, sen de kendi hikayelerini yaz. Hikayelerine arkadaşlarını davet et. Paylaş ve tüm dünyaya sesini duyur.

Sem dinheiro, clubes importam jogadores e Brasil tem invasão de gringos. Bons?

Não faz muito tempo, os clubes torciam o nariz para os jogadores de fora do País. O limite nos jogos era de apenas três estrangeiros por equipe. Com a valorização do Real em relação às moedas dos vizinhos da América, e com cofres mais vazios, os clubes brasileiros resgataram a tática de importar mão de obra. A famosa invasão gringa novamente toma conta dos gramados verde-amarelos.

Sevdiğin konularda arkadaşlarınla işbirliği yap
Bu konuda yazmak ister misin? ▸

Nos quatro cantos deste enorme Brasil, agora é obrigação falar um segundo idioma. Argentinos, equatorianos, paraguaios, uruguaios, colombianos, estão vinda às pencas para cá. E deixando clubes grandes do seu país para atuar no futebol brasileiro, que não goza de tanto prestígio no futebol mundial neste momento.

Botafogo, Cruzeiro, Atlético-MG e São Paulo são quem mais investem em gringos neste início de ano. O Glorioso, de volta à elite nacional, está com quatro caras novas de sotaque espanhol no grupo. Nesta quinta-feira, eles puderam mostrar um pouco da capacidade (ou falta dela) em treino no gramado.

Sob o comando do técnico Ricardo Gomes, os argentinos Joel Carli e Gervásio Núñez, o equatoriano Pedro Larrea e o boliviano Damián Lizio começaram a se enturmar com os novos companheiros. Todos são desconhecidos e terão de convencer a torcida do Botafogo.

Sem dinheiro, clubes importam jogadores e Brasil tem invasão de gringos. Bons?

Outro carioca esperançoso com dias melhores é o Flamengo. O clube tem tudo certo com o argentino Federico Mancuello. O meia será o responsável por 'dar' os gols para o peruano Guerrero. Atrás, a direção rubro-negra corre atrás de um outro argentino, Alejandro Donatti, e do paraguaio Bruno Valdez.

O São Paulo treina faz dois dias sob o comando do argentino Edgardo Bauza. Eugenio Mena, chileno, assinou o contrato e já inicia as atividades e o uruguaio Diego Lugano é aguardado. O clube ainda tentou Buffarini e Néstor Ortigoza, sem sucesso, e conversa com Caraglio. Sem contar o colombiano Wilder e o argentino Centurión que permaneceram.

Sem dinheiro, clubes importam jogadores e Brasil tem invasão de gringos. Bons?

No Santos, nomes que estavam no grupo devem ter a derradeira chance, casos de Patito Rodríguez e do volante Valencia, que renovou por nova temporada.

Nos lados de Minas a festa gringa é enorme. E haja argentino. O Cruzeiro renovou com Cabral, garantiu a permanência de Arrascaeta e fechou com Sanchéz Miño (foto). O clube celeste ainda tem conversas adiantadas com o hermano Matías Pisano e o colombiano Gustavo Cuellar.

Sem dinheiro, clubes importam jogadores e Brasil tem invasão de gringos. Bons?

O arquirrival Atlético-MG conta com Dátolo e Lucas Pratto na equipe titular e agora apresentou os equatorianos Erazo e o promissor meia Juan Cazares. Todos sob a direção do uruguaio Diego Aguirre, outro recém-chegado.

Sem dinheiro, clubes importam jogadores e Brasil tem invasão de gringos. Bons?

Acostumado a se destacar com mão de obra vizinha, a prova é o ídolo D'Alessandro, o Internacional foi econômico em seu tour pela América e fechou apenas com o chileno Paulo Cézar Magalhães.

Sem alarde, o Sport fechou com um meia da seleção chilena, Mark González e, de quebra, surpreendeu com um colombiano, Reinaldo Lenis. Todos devidamente apresentados e em ação na pré-temporada.

Até os clubes menores estão vendo oportunidades de reforços sul-americanos. A Ponte Preta assinou com o argentino Martinuccio, figura carimbada no País. O Figueirense promete uma surpresa gringa em breve e a Chapecoense fechou com o uruguaio Martín Alaniz.

Corinthians, com Lodeiro, Palmeiras e sua legião de argentinos Allione, Mouche e Cristaldo (deve sair), além do paraguaio Barrios, Fluminense, Coritiba, Santa Cruz, América-MG, Grêmio, Atlético-PR e Vitória aguardam boas oportunidades para anunciar seu gringo no ano.

Ou os brasileiros abrem os olhos ou vão sumir no futebol chinês. Ricos, é bem verdade, mas esquecidos. E sem prestígio.

Em busca de marca dos Bulls de Jordan, Spurs e Warriors têm arenas assustadoras

Golden State Warriors e San Antonio Spurs lideram com folga a temporada da NBA. Mas, além dos elencos recheados de astros, os times carregam um diferencial: suas arenas são assustadoras aos oponenentes. Ganhar no AT&T Center, dos texanos, ou no Oracle Arena, dos campeões, é algo complicado e ainda inédito na temporada.

Sevdiğin konularda arkadaşlarınla işbirliği yap
Bu konuda yazmak ister misin? ▸
Em busca de marca dos Bulls de Jordan, Spurs e Warriors têm arenas assustadoras

Com o apoio caloroso de suas torcidas, os candidatos à final da Conferência Oeste (daí deve sair o campeão da NBA) esperam superar as 44 vitórias seguidas que o Chicago Bulls das temporadas 94/95 e 95/96 com o astro Michael Jordan e o lendário Phil Jackson no comando conquistaram.

A missão ainda está longe de acontecer. Mas não é impossível pelo grande desempenho apresentado pela dupla. É um show atrás do outro. Os Warriors, atuais campeões, somam 35 triunfos seguidos, diante de 30 dos Spurs.

Com a temporada quase em sua metade, os Spurs passaram por cima de todos que viajaram até o Texas. São 21 vitórias na temporada, igualando a marca dos Rockets de 85/86 e atrás apenas do Portland de 77/78 (ganhou 26 seguidas).

E a expectativa é boa, já que além de jogar bem,conta com a superstição. Um morcego invadiu a quadra dia desses. Já havia feito em 2009 quando o time engatou série de vitórias. Dizem que ele trás sorte. Por enquanto, os Spurs somaram dois títulos em sua casa: 2003 e 2005. Buscará nova marca agora? Vamos esperar.

Quem surge embalado para desbancar os Bulls mesmo é o Golden State.A equipe fechou a campanha do título no ano passado com 18 vitórias seguidas em casa. Agora, são outras 17. Algo normal?

Sim, mas o fato é: quem foi à Oracle Arena em 2015/2016, voltou para casa com prejuízo de no mínimo 100 pontos na conta, além da derrota. Stephen Curry e cia. estão atropelando quem veem pela frente. A pressão dos quase 20 mil torcedores por jogo deixa o time bem ligado.

Para desbancar os Bulls, entretanto, os Warriors terão de mostrar todo seu poder em série caseira detirar o fôlego.

No caminho do recorde aparecem Miami Heat, Los Angeles Lakers, Indiana Pacers, San Antonio Spurs, Dallas Mavericks (quebrou sua invencibilidade no 25º jogo), Oklahoma City Thunder duas vezes, Houston Rockets, Atlanta Hawks e Orlando Magic. Façam suas apostas enquanto os Spurs correm por fora.

Hikayeyi okudun
Story cover
tarafından yazıldı
Writer avatar