OUTROS

Quanta covardia. Torcida invade o campo no Congo e bate em árbitro indefeso

Fábio Hecico
Author
Fábio Hecico

Ele correu, e como correu. Mas de nada adiantou. Um golpe certeiro e acabou caindo. Para seu desespero, uma multidão se aproximou e ele acabou sofrendo todo o time de golpe possível: chutes, pisões, socos. Bandido? Sequestrador? Não, se tratava de um árbitro assistente de futebol que estava cumprindo o seu trabalho no Congo.

As cenas lamentáveis aconteceram no fim de semana em jogo válido pela décima rodada dos playoffs do Campeonato Congolês.

O jogo entre Daring Club Motema Pembe (DCMP) e Dauphon Noir, os torcedores se revoltaram com lances polêmicos da arbitragem e resolveram invadir o gramado para tomar satisfações.

O assistente nem teve como se defender, quando viu a revolta da torcida. A saída foi correr. Mas era muita gente atrás e ele acabou ' capturado', apanhando sem dó.

Num ato covarde, com todos contra um, ele acabou caído, sem forças para se levantar, com nariz sangrando e olho bastante inchado. Saiu de campo numa maca em mais uma tarde de barbárie no futebol.

Ao invés de punir os agressores, prendê-los e impedi-los de voltar aos gramados, a Confederação Congolesa de Futebol resolveu apenas dar a vitória ao Dauphin Noir ( o jogo estava empatado).

Se a moda pegar, toda rodada terá um árbitro apanhando aqui no Brasil. Os homens do apito são recordistas de erros no País.