OUTROS

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

Fábio Hecico
Author
Fábio Hecico

Leandro Niehues é mais uma vítima do amadorismo de dirigentes de futebol. O treinador foi demitido do Vila Nova-GO após empate sem gols com o Gama na Copa Verde. Foram apenas 13 dias de trabalho no clube e a queda com somente uma derrota em quatro jogo.

Precipitação? Decepção? Briga? Os dirigentes não explicaram a troca de comando. Preferiram divulgar uma nota falando que o baixo rendimento custou o emprego de Niehues, de 42 anos.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

O treinador que chegou sob intensos elogios da diretoria e com promessa de que tinha tudo para emplacar em Goiânia, sai chutado sem ter tempo para mostrar trabalho.

Como ele, veja outros técnicos relâmpagos em clubes do Brasil que ainda prega o profissionalismo.

1 - Junior, Corinthians

Ídolo dos flamenguistas, o ex-lateral Junior ficou apenas dois jogos no comando do Corinthians em 2003. Depois de estreia com 2a1 sobre o Vitória em Salvador, ele ficou assustado com a repercussão da derrota por 3 a 0 para o São Paulo e pediu o boné se mandando para o Rio.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

2 - Doriva, São Paulo

O técnico Doriva durou apenas 33 dias no comando do São Paulo. Caiu após derrota para o Cruzeiro. Foram somente sete jogos, com quatro derrotas no comando do time do Morumbi.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

3 - Roque Junior, XV de Piracicaba

A estreia do pentacampeão Roque Junior na carreira de treinador foi mais curta que ele imaginava. Com início ruim no Paulistão, ele acabou demitido do XV de Piracicaba após apenas seis rodadas. Saiu e o time, até hoje, não deixou a zona de rebaixamento.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

4 - Vinícius Eutrópio, Ponte Preta

O empate por 1 a 1 com o Botafogo custou o emprego de Vinícius Eutrópio na Ponte Preta. O comandante fez toda a pré-temporada, indicou os reforços e caiu após apenas 4 jogos, todos sem vitórias.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

5 - Carlos Alberto Silva, Corinthians

Três amistosos e nenhum jogo oficial. Assim foi a passagem de Carlos Alberto Silva pelo Corinthians em 1991. Um proposta milionária do Porto abreviou sua jornada em São Paulo.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

6 - Flávio Murtosa, Palmeiras

Pentacampeão mundial como auxiliar de Felipão na seleção, Murtosa foi se arriscar como treinador do Palmeiras no Brasileirão de 2002. Deu lugar a Luxemburgo após só quatro jogos, ou 20 dias.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

7 - Vágner Mancini, Grêmio

Uma das grandes injustiças do futebol aconteceu com Vágner Mancini no Grêmio. Foram só seis jogos antes de dar lugar a Celso Roth em 2008. Mas a queda veio após quatro vitórias e dois empates, ou seja, invicto.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

8 - Mário Sérgio, Botafogo

Três derrotas em 10 dias e Mário Sérgio deu adeus ao Botafogo sem deixar saudade em 2007. Saiu com medo de um fracasso histórico no Rio de Janeiro.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

9 - Celso Roth, Vasco

O risco de ter um rebaixamento no currículo fez Celso Roth abandonar o Vasco em 2010. O treinador gaúcho trocou o Rio por Porto Alegre após só cinco jogos pelo cruzmaltino, com só uma vitória.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos

10 - Antônio Lopes, América-MG

O delegado Antônio Lopes ficou só 20 dias no América Mineiro em 2011. Após quatro tropeços, alegou problemas particulares e 'fugiu' de Belo Horizonte.

Vila Nova dispensa técnico após 13 dias. Veja outros 10 treinadores relâmpagos