OUTROS

Westbrook, o gênio de cabeça quente do Oklahoma

Fábio Hecico
Author
Fábio Hecico

Fora dos playoffs da temporada passada, o Oklahoma City Thunder surge como grande candidato a desbancar os favoritos Golden State Warriors e San AntonioSpurs na Conferência do Oeste.Para isso, conta demais com a inspiração de seu armador, Russell Westbrook. Jogador temperamental, acostumado a se envolver em confusão e, também gênio, dono de lances incríveis. E os dois últimos jogos do Thunder deixam uma pergunta no ar: qual jogador o time contará na fase final: o briguento que foi expulso em Dallas na quarta-feira ou o dono do triplo-duplo sobre Minnesota na sexta?

Westbrook, o gênio de cabeça quente do Oklahoma

Westbrook é muito cabeça quente. Ele já brigou com o brasileiro Nenê - trocaram empurrões e acabaram expulsos - e, na quarta, se enrolou com J. J. Barea e causou enorme confusão, sendo agarrado pelo pescoço por Villanueva. Não contente, minutos depois, levou sua segunda falta técnica e a consequente exclusão do jogo ao novamente se desentender com Barea. Saiu com 15 minutos da partida falando cobras e lagartos e sem nenhum ponto na conta.

Justamente ele que na virada do ano havia feito uma promessa: depois de assistir vários vídeos e ver palestras de técnicos, garantiu que não se envolveria mais em brigas e em faltas técnicas. "Estou cansado das faltas técnicas", disse. "Vou mudar."

Westbrook, o gênio de cabeça quente do Oklahoma

Na carreira de oito anos são 72 faltas técnicas e quatro expulsões. Todas atrapalharam muito o Oklahoma dentro de quadra. Sem seu astro, sobra tudo para Kevin Durant, a outra estrela de Oklahoma, mas que não consegue se virar sozinho, sem a maestria deWestbrook. Durant, curiosamente, é quem mais dúvida que o parceiro consiga deixar de lado o lado explosivo.

Westbrook, o gênio de cabeça quente do Oklahoma

Westbrook, ao menos, vem mostrando evolução nos últimos jogos. Antes do deslize em Dallas, vinha de 20 duplo-duplos seguidos em bela sequência de bons resultados do Oklahoma. Diante do Minnesota, anotou seu 26º triplo-duplo da carreira. Foram 12 pontos, 11 assistências e 10 rebotes.

Ele chegou a 1002 pontos na temporada, com média de 24,4 por jogo. Com a cabeça mais fria o Oklahoma confia que pode, enfim, brigar por um título da NBA.Desde que deixou de ser o Seattle Supersonics, nem passou perto na briga pelo anel. Resta saber se Westbrook vai ignorar as provocações e também deixará a fama de amarelão na hora decisiva de lado. Façam suas apostas.