GAMES

5 verdades inconvenientes para donos de PS4 e Xbox One

GameStoria
Author
GameStoria
5 verdades inconvenientes para donos de PS4 e Xbox One

Com sorte, qualquer discussão sobre qual é o melhor, PlayStation 4 ou Xbox One, acaba virando uma típico papo de boteco - com azar, o papo acaba evoluindo para ofensas mesmo. Em ambos os casos, o que se vê é mais uma exposição de gostos pessoais do que de argumentos propriamente ditos.

É fato que o tema "videogame" acaba envolvendo uma boa dose de memória afetiva, mas ainda assim há fatos que não não podem (ou, ao menos, não deveriam) ser negados. Abaixo listamos cinco dessas verdades inconvenientes que, vira e mexe, incomodam os fãs de PlayStation 4 e do Xbox One. Então engula o orgulho e confira abaixo.

1 - A Xbox Live é melhor do que a PlayStation Network

5 verdades inconvenientes para donos de PS4 e Xbox One

Uma oferta mais generosa de games grátis para assinantes e um serviço online mais estável. Esses são os trunfos da Xbox Live diante da concorrência. E, de fato, há pouco o que se argumentar nesse sentido em prol do PS4. Outra vantagem do Xbox é a existência de serviços como o EA Access e Xbox Game Pass. Nenhum serviço do tipo está presente na PSN e isso meio que encerra o assunto.

2 - O Xbox One precisa de games exclusivos mais variados

5 verdades inconvenientes para donos de PS4 e Xbox One

Ponto para o PlayStation 4. Por contar com o suporte de um número maior de desenvolvedoras japonesas e ter uma tradição maior no mercado oriental, o PS4 é a escolha certa de quem, por exemplo, gosta de jogar RPGs mais clássicos. Há de se argumentar que o Xbox One tem séries como Forza, Gears of War e Halo e que a maioria dos jogos vendidos hoje em dia são multiplataforma. Apesar de serem nomes de peso, eles são representantes de estilos muito convencionais (corrida e tiro).  Sobre a questão dos multiplataforma, eles acabam não sendo a razão pela qual alguém escolhe entre um ou outro console. O resultado disso é que, mundialmente, estima-se que há o dobro de PS4 vendidos em relação ao número de Xbox One.

3 - Exclusivos para PS4 demoram para sair

5 verdades inconvenientes para donos de PS4 e Xbox One

Você, dono de PS4, viu algum jogo, sei lá, na E3 e se empolgou? Então prepare-se para esperar: tradicionalmente, os games apresentados para PlayStation 4 têm um período de gestação mais longo do que boa parte dos que sairão somente no Xbox One ou, ainda, em ambas as plataformas. Dois exemplos, The Last Guardian e Nioh, demoraram, ambos cerca de uma década para ficar pronto. Já a principal série de corrida do console, Gran Turismo, só terá seu primeiro game na plataforma quatro anos após ela ter sido lançada. 

4 - Controle a pilhas em pleno 2017

5 verdades inconvenientes para donos de PS4 e Xbox One

Outro assunto recorrente na hora de zoar quem tem um Xbox One é a necessidade de usar pilhas para fazer o (ótimo) controle sem fio funcionar. É claro que há alternativas, como pilhas recarregáveis ou, ainda, o acessório Play and Charge que, nada mais é, do que uma bateria recarregável. Alguns argumentam que isso evita que o controle precise ser jogado fora caso a bateria chegue ao fim de sua vida útil. A verdade, no entanto, é que isso não parece nada além de uma característica "retrô indesejada" e pouco ecológica do videogame da Microsoft.

5 - Eles nunca serão mais potentes do que os PCs

5 verdades inconvenientes para donos de PS4 e Xbox One

Qual é o videogame mais potente: PlayStation 4 Pro ou Xbox One X? Essa discussão perde totalmente o sentido se considerarmos a existência dos PCs. E, por mais que a Sony lance uma versão turbinada do PS4 ou a Microsoft eleve o poder do seu videogame às estrelas, nenhum deles será uma alternativa poderosa o suficiente para superar um PC de última geração. O mais próximo disso será o Xbox One X, que sairá no segundo semestre com um poder de processamento muito acima do visto na atual geração. Ainda assim, ele ficará bem para trás em relação aos PCs em poucos meses - e aqui falamos em termos de poder puro, não no quesito custo-benefício. Isso porque, por contar com uma arquitetura aberta e atualizável, os computadores evoluem constantemente. E, considerando o pacote fechado que é um videogame, simplesmente não há como competir nesse ponto.