GAMES

Clone de Dark Souls? Nioh vai (muito) além disso

GameStoria
Author
GameStoria
Clone de Dark Souls? Nioh vai (muito) além disso

Se nos anos 1990 era comum games serem chamados de "clones" de franquias de sucesso como Doom e Mario, ultimamente isso tem ocorrido com Dark Souls. A fórmula - na verdade consolidada por Demon's Souls, game exclusivo para PlayStation 3 lançado em 2009 - de um RPG de ação, com alta dificuldade, sem concessões ao jogador como progresso salvo por meio de checkpoints e tutoriais para ensinar mecânicas básicas e com sistemas que usam bastante a relação entre risco e recompensa tem sido vista com frequência em games como Lords of the Fallen, Bloodborne, Salt and Sanctuary e, agora, em Nioh.

O game do Team Ninja - o mesmo por trás do reinício da franquia Ninja Gaiden -, é um jogo de ação em terceira pessoa, no qual o jogador encarna William Adams, um inglês que vai ao Japão em busca de uma entidade sobrenatural que o protegia, mas acabou sendo roubada. Lá, ele encontra um Japão feudal em guerra e acaba se envolvendo no conflito. Nós falamos um pouco sobre o game aqui

O game bebe, de fato, na fonte de Dark Souls, ainda que a ação mais rápida e claramente voltada aos combates, somada à história mais palpável o distancie de sua inspiração. Ele porém, vai além e mexe em um ponto, até agora, fundamental do estilo. Essa questão pode ser tratada como, simplesmente, a dificuldade do jogo, mais amena no game de samurais, mas tem mais a ver com a forma com a qual o game trata o jogador. Em suma: Nioh usa a fórmula de Dark Souls, sim, mas acrescenta uma boa dose de empatia pelo jogador.

Um exemplo claro disso é que há raríssimos momentos em Nioh nos quais o jogador se sente "passado para trás". A dificuldade é alta, sim, e alguns confrontos ou porções das missões precisarão de uma boa dose de persistência para serem superados. A grande diferença é que, durante todo o jogo, a sensação de "é impossível eu conseguir isso" é substituída por "ok, essa parte é complicada, mas eu consigo vencer".

O resultado mais imediato dessa abordagem é uma curva de aprendizado mais sutil, em comparação com a verdadeira muralha encontrada pelo jogador nos games da série Dark Souls. Seja pela dinâmica que enfatiza os combates ou por esse ambiente hostil, porém de maneira mais suave, é provável que um jogador tenha mais prazer - ou uma experiência menos traumática - enfrentando os yokai de Nioh do que os mortos-vivos de Dark Souls.

Aqui cabe uma ressalva: em nenhum momento é possível afirmar que um game é melhor do que o outro. Trata-se de duas abordagens possíveis para o mesmo tema, ambas com suas qualidades e defeitos, mas capazes de divertir por horas a fio.

Clone de Dark Souls? Nioh vai (muito) além disso

A julgar pela tendência e fazendo um breve exercício de futurologia, é provável que Dark Souls inspire diversos "filhos bastardos" e venha a ser reconhecido, nos próximos anos, como um game que criou um estilo. Caso isso se confirme, podemos ver em Nioh um game que, mais que copiou uma ideia, a transformou em algo capaz de ser apreciado pelos mais variados tipos de jogadores.

Ao menos até o momento, Nioh é um game exclusivo para PlayStation 4.