GAMES

Pokémon GO ganha novos monstrinhos, mas isso ainda importa?

GameStoria
Author
GameStoria
Pokémon GO ganha novos monstrinhos, mas isso ainda importa?

Não é exagero dizer que julho foi o mês mais importante do ano para os games. Goste ou não da franquia Pokémon, esse mês marcou o lançamento de Pokémon GO para celulares e tablets e o que se viu na sequência foi uma febre mundial: milhões de pessoas saíram às ruas para, finalmente, realizar o sonho de caçar monstrinhos no mundo real.

A empolgação inicial, porém, passou por um esperado esfriamento e o que temos hoje é a seguinte situação: mesmo com atualizações constantes da produtora Niantic, o jogo perdeu milhões de usuários diários. Estima-se, porém, que ele ainda renda algo entre US$ 1 e 2 milhões para a sua produtora diariamente, número longe de ser considerado fraco. 

Novidades insuficientes, mas há solução

Nesses seis meses, o game mudou consideravelmente, tendo ganhado novas funções e, agora em dezembro, os primeiros Pokémon de segunda geração. A expectativa é que esses monstrinhos, que apareceram inicialmente nos games Pokémon Gold & Silver, lançados para Game Boy em 1998, cheguem aos poucos ao jogo de celular. Por ora, apenas alguns deles apareceram no jogo e sempre como resultado de um ovo chocado. 

No último mês, por sua vez, o game passou a recompensar quem jogasse diariamente, dando bônus de experiência e outros itens para o primeiro monstro capturado durante o dia e também para quem pegasse um Pokémon por dia durante uma semana. Somam-se a isso pequenas mudanças no sistema de batalha em ginásios, assim como facilidade para capturar monstros de determinado tipo conforme o jogador obtém as - até então, inúteis - medalhas.

O ponto central de críticas em relação ao game, porém, ainda não foi resolvido. Trata-se da possibilidade de jogadores se enfrentarem sem, necessariamente, estarem em um ambiente de ginásio para tal. Além de capturar Pokémon, um dos pontos centrais da franquia são as batalhas - tão bem emuladas nos jogos da série para portáteis da Nintendo e elemento central do anime que ainda faz bastante sucesso.

A Niantic já afirmou, vez ou outra, que esse sistema de batalha direta entre jogadores - algo oposto do que ocorre no multiplayer assíncrono das lutas em ginásios - está nos planos da companhia para o game. A produtora, porém, não revelou datas, tampouco detalhes sobre esse sistema.

Pokémon GO ganha novos monstrinhos, mas isso ainda importa?

Uma vez confirmada e lançada, essa novidade parece ser a única capaz de fazer o grande público - afinal, é de se imaginar que fãs de carteirinha continuaram jogando o game - retomar seu interesse pelo jogo e voltar a circular por ruas e parques em busca de monstros mais fortes. Sem isso, ao que parece, a Niantic poderá lançar novos monstros, dar diversos bônus e introduzir dezenas de novidades que, mesmo assim, Pokémon GO dificilmente chegará próximo das suas (breves) semanas de glória.