GAMES

Russo resolve jogar Pokémon GO em uma igreja e se dá mal

GameStoria
Author
GameStoria
Russo resolve jogar Pokémon GO em uma igreja e se dá mal

A ideia por trás de Pokémon GO é, justamente, a possibilidade de jogar o game onde quer que você vá - desde, claro, que o seu celular esteja à mão. Isso não quer dizer, porém, que seja recomendável jogar o game em qualquer lugar.

E um jovem russo descobriu isso da pior maneira.

Ruslan Sokolovsky, de 22 anos, acabou condenado a três anos e meio de prisão domicilar após divulgar um vídeo no qual aparecia jogando o game em uma igreja ortodoxa. O vídeo foi ao ar em agosto de 2016 e o jovem está sendo julgado desde março.

Ironicamente, ele afirma no vídeo que o risco de ser preso pelo ato era "uma completa bobagem" e também disse acreditar que ninguém se incomodaria com ele. "Quem ficaria ofendido se você andasse por uma igreja com seu smartphone?" foi uma das questões levantadas. O vídeo pode ser visto abaixo (há legendas em inglês).

Para piorar a sua situação, a polícia encontrou em sua casa uma caneta com câmera. O gadget, inofensivo em uma primeira análise, fez com que Sokolovsky fosse enquadrado em outro crime, de "tráfico ilegal de equipamento técnico especial". Além disso, os promotores encontraram 17 do que chamaram de "episódios incriminatórios" em seus vídeos no YouTube.

Russo resolve jogar Pokémon GO em uma igreja e se dá mal

(você quer mesmo saber, jovem?)

Já a acusação referente a Pokémon GO diz respeito a uma suposta "incitação ao ódio e ataque à liberdade de fé", a mesma que a banda de rock russa Pussy Riot sofreu em 2012, após gravarem um clipe no local.

Agora, Sokolovsky - que se declarou inocente - discutirá com seus advogados como irá recorrer da sentença.

De qualquer maneira, fica a dica para quem viajar para a Rússia e quiser visitar alguma de suas igrejas: é melhor manter seu celular bem guardado e se comportar.