NOTÍCIAS

Após episódio racista, William Waack não trabalha mais na Globo

Yazar
Após episódio racista, William Waack não trabalha mais na Globo

Reprodução / G1

Depois de todo o desgaste envolvendo o jornalista Willian Waack - afastado da bancada do Jornal da Globo após o episódio de vazamento de um vídeo em que o apresentador fazia comentários racistas - , a Rede Globo anunciou nesta sexta-feira, em nota conjunta com o âncora, que o contrato de prestação de serviços será rescindido e a partir de 2018 Waack não trabalha mais na casa.

Além de divulgar a rescisão dita de comum acordo, a nota oficial da emissora ainda reforça um pedido institucional de desculpas em ambos os lados declarando repúdio ao racismo - mesmo que a História mostre o contrário.

A Globo segue tentando sanar as acusações recorrentes de falta de inclusão e diversidade racial em seus postos de protagonismo, como se uma nota simples de três parágrafos e quebra de contrato para conter um escândalo desse conta de anos racismo institucional. A nota inclusive é assinada formalmente por Ali Kamel, diretor de jornalismo da TV Globo, autor do livro 'Não somos racistas' que usava do subterfúgio do discurso da democracia racial para criticar as políticas de cotas raciais em universidades, chamando praticamente de racismo reverso. Segue na zona de conforto do tradicional: “Não somos racistas, mas…”

William Wack, após a fratura exposta do seu flagra, também aposta no silêncio conveniente, tendo evitado aparições públicas, desde novembro, protegendo-se em duas notas burocráticas em que não explica o fato, apenas tenta dizer que não é racista e pede desculpa a quem se sentiu ofendido. Nada mais genérico para escapar do debate sobre o que é “coisa de preto”.

Apesar das tentativas de aliviar o problema, o importante é que o barulho gerado pela indignação nas redes sociais desgastou a imagem dos dois lados. O gerenciamento de crise em si é o sinal de que nem mesmo o racismo sutil está sendo tolerado em silêncio e obriga uma mudança de posicionamento de pessoas e marcas.

Leia a íntegra da nota divulgada pela Rede Globo:

"Em relação ao vídeo que circulou na internet a partir do dia 8 de novembro de 2017, William Waack reitera que nem ali nem em nenhum outro momento de sua vida teve o objetivo de protagonizar ofensas raciais. Repudia de forma absoluta o racismo, nunca compactuou com esse sentimento abjeto e sempre lutou por uma sociedade inclusiva e que respeite as diferenças. Pede desculpas a quem se sentiu ofendido, pois todos merecem o seu respeito.

A TV Globo e o jornalista decidiram que o melhor caminho a seguir é o encerramento consensual do contrato de prestação de serviços que mantinham.

A TV Globo reafirma seu repúdio ao racismo em todas as suas formas e manifestações. E reitera a excelência profissional de Waack e a imensa contribuição dele ao jornalismo da TV Globo e ao brasileiro. E a ele agradece os anos de colaboração."

Ali Kamel, diretor de jornalismo da TV Globo

William Waack, jornalista e apresentador de programas jornalísticos da TV Globo”