COMPORTAMENTO

Campanha "jogo do preconceito" provoca sobre discriminação contra nordestinos

Geisa Agricio
Author
Geisa Agricio
Campanha "jogo do preconceito" provoca sobre discriminação contra nordestinos

Reprodução / Bend Propaganda

8 de outubro é marcado como o Dia do Nordestino. Deveria ser mais uma homenagem e data comemorativa no calendário, mas acaba sendo um dia repleto de registros de preconceitos e estigmas negativos sobre a população do Nordeste, principalmente para as pessoas que migraram para outras regiões do País. 

Para alertar contra a discriminação, o fotógrafo Felipe Araújo desenvolveu junto com Artur Costa, pela Bend Propaganda, de Aracaju (SE), o #jogodopreconceito. Nesse teste virtual, o internauta diante de dois retratos deve eleger a opção de “quem tem cara de nordestino”.

Como o próprio slogan da campanha diz: “quem vê cara, julga”. A ferramenta funciona como uma grande provocação sobre como nós enxergamos e pensamos a respeito dos nordestinos, mesmo que inconscientemente: "Ninguém se acha racista até um negro denunciar. Ninguém se acha machista até uma mulher manifestar. Ninguém se acha preconceituoso até um nordestino falar", conclui o projeto.

Campanha "jogo do preconceito" provoca sobre discriminação contra nordestinos

Reprodução / Bend Propaganda

Diante das escolhas das fotos, também surgem frases dolorosas que são comumente repetidas a respeito de quem é do Nordeste, como “raça de preguiçosos”, “povo ignorante” ou “retirante”. Como recifense que já morou um bom em tempo em São Paulo, a experiência própria me diz que todo nordestino já foi submetido a piada jocosa sobre sotaque, hábitos e nível de desenvolvimento da sua terra. Já colocou seu preconceito à prova?