ECONOMIA

Conta Black: finalmente uma conta bancária para afroempreededores

Autor
Conta Black: finalmente uma conta bancária para afroempreededores

Crédito: Taylor Grote

Negros são a maioria dos empreendedores no Brasil, ao todo ocupam 51% dos postos de líder de empresas. Porém, como na pirâmide social, a expressividade numérica não representa a igualdade de oportunidades de crescimento como os brancos. Empresários negros encontram mais dificuldades, inclusive burocráticas, para prosperar.

Segundo o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), apenas 29% dos empreendedores negros empregam ao menos uma pessoa. São portanto em sua maioria autônomos e não donos de grandes corporações. Dessa forma, têm menor acesso a crédito e isso atravanca o crescimento de seus negócios. Para negros é bem mais difícil conseguir abrir contas, ter limite de crédito ou acesso a empréstimos para manter seus planos de investimos.

Nem sempre é uma questão matemática que bloqueia a relação dos empresários negros e os bancos. Não é apenas a lógica que quem tem menor renda, tem menos benefícios, das transações. A subjetividade do racismo também transparece nos balcões de atendimento das agências bancárias.

Além de jornalista, há seis anos tenho uma empresa de comunicação. Sempre conto essa história quando alguém me pergunta um exemplo de racismo vivido profissionalmente. Certa vez, fui ao banco resolver uma operação cotidiana acompanhada de uma colaboradora. Em todas as informações e dúvidas que tínhamos, o gerente nos elucidava sempre se dirigindo a ela, uma mulher branca. Ignorou-me solenemente durante todo o encontro. Quando decidimos as questões que queríamos implementar ele trouxe contratos à mesa para assinar. “Agora a proprietária da empresa pode assinar”, e passou os papéis e a caneta para minha acompanhante. É impagável a cara de surpresa que ele fez quando ela respondeu “a dona da empresa é ela”, e me repassou os documentos.

É impossível imaginar que uma mulher negra ao lado de uma branca possa estar numa situação de maior poder. Parece um retrato daquela campanha anti-racismo que mostra como grandes líderes de Recursos Humanos enxergam profissionais negros. Sou apenas mais uma das estatísticas que atravacam o reconhecimento dos negócios liderados por negros. A quase certa negação de créditos vem sempre acompanhada de um péssimo tratamento. É quase sempre um cenário onde nos sentimos desprezados.

Para atenuar constrangimentos e permitir a afroempreendedores um tão raro atendimento digno, com foco no BlackMoney e seu potencial de mercado, no dia 31/10, será lançada num evento em São Paulo uma conta bancária exclusiva para este nicho, a Conta Black. A conta digital será desenvolvida não só para empresários mas também para todas as pessoas que tem mais entraves de acesso a bancos, surgida de uma demanda da associação AfroBusiness, voltada a capacitar e fomentar atividades econômicas realizadas por pessoas negras.

Parece um exagero que exista um produto tão específico, mas não é. Só dá pra saber a real importância quando você já está cansado de tantas negativas, quando nunca lhe tratam pelo nome, quando aquele cafezinho nunca é oferecido ou aquele telefonema do gerente nunca toca. Se o consumo é uma forma de ativismo que a gente também faça valer para onde vai nosso dinheiro. Quando ele começar a fazer falta, talvez nos enxerguem.