Comportamento animal
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Comportamento animal
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Comportamento animal
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Os primeiros passos para um bom adestramento

Guia.Pet
há 2 anos7 visualizações
Os primeiros passos para um bom adestramento
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Quem nunca teve problemas com o comportamento de seu cachorro? Quem nunca viu seu cachorro fazendo xixi fora do lugar e se irritou? Quem nunca quis fazer seu cão dar a patinha ou mandar ele sentar? Se seu animal de estimação está desobediente ou você quer ensinar alguns truques para ele, o adestramento é sempre a melhor saída. Mas, antes de chamar um profissional, saiba que tudo começa dentro de casa mesmo.

Não há idade para adestrar um cão. Um filhote tem a tendência de aprender tudo mais rápido e com mais facilidade que um cachorro mais velho, mas todos podem ser ensinados. O que o dono precisa saber é o que ele quer para o cachorro ao procurado um adestrador:

- obediência básica,

- aprender truques,

- iniciar uma atividade esportiva (agility, por exemplo),

- arrumar certos comportamentos caninos.

De acordo com Dagoberto Azzoni, adestrador e especialista em comportamento canino, antes mesmo de adestrar é preciso socializar o cachorro. “Hoje boa parte dos problemas comportamentais vem da falta de socialização e atividades físicas e mentais”, explica. “Até os 4 meses de idade é um período importante para o cachorro ter contato com o mundo: com pessoas, animais, outros lugares e sons diferentes.”

Este trabalho é feito pelo próprio dono do cachorro, que não precisa ter receio de tirar o seu cão de casa mesmo filhote. Além dessa socialização, Dagoberto avisa um outro ponto importante: criar vínculo com o animal. “Tem de brincar com os cachorros, mostrar o seu interesse nele. Pode ser com uma bolinha ou outros brinquedos”, diz. A última parte do processo inicial antes do adestramento, segundo o especialista, é começar a mostrar os seus limites. “São as regras da casa, o que o cachorro pode ou não fazer.”

Para o adestramento, os profissionais usam diversas técnicas. Hoje o mais moderno é o treino com base no reforço positivo. “Usamos menos força física e mais ferramentas de psicologia”, explica Dagoberto. É basicamente premiar o cão quando ele faz algo certo e ignorá-lo quando faz algo errado. “Dentro deste método temos ainda o clicker, uma ferramenta que produz um som e que o cachorro o associa à recompensa.”

Esta metodologia de marcar comportamento é o mesmo método usado para treinar golfinhos, por exemplo. A diferença é que com os golfinhos são usados apitos.

Não há um período certo para adestramento. Depende, muito, da raça do cachorro, da idade e do que o dono deseja. O que todos precisam saber é que não há mágica no esquema. Para dar certo é preciso também o envolvimento do dono. As regras do aprendizado devem ser mantidas sem casa.

Os primeiros passos para um bom adestramento

Dicas para melhorar o relacionamento com seu cão:

* Ame seu cão, mas entenda que ele tem necessidades, sentimentos e reações de cachorro! Tratá-lo como ser humano não é bom nem para ele nem para você.

* Atividades físicas são fundamentais: correr, brincar e interagir com seu dono devem fazer parte da rotina diária de qualquer pet.

* Estabeleça limites claros para seu melhor amigo. Ele precisa disso. Seja firme e consistente em suas atitudes, sem gritos ou violência.

* Recompense o comportamento que você deseja dando ao cão o que ele mais gosta. Ignore o comportamento indesejado, que seu pet vai entender que aquilo não lhe traz nada de bom.

* Tenha sempre em mente que, na maioria das vezes, o problema está no dono, e não no cachorro!

#pet #cachorro #dog #guiapet

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar