MUNDO

Conheça Elon Musk, o homem que quer chegar em Marte

Autor

Ele é responsável por um novo marco na exploração espacial

Conheça Elon Musk, o homem que quer chegar em Marte

Na última terça-feira, o mais poderoso foguete do mundo foi ao espaço e inaugurou um novo capítulo rumo à primeira missão tripulada a Marte

Trata-se do foguete Falcon Heavy, que foi fabricado pela empresa Space X, do bilionário americano Elon Musk. Ele possui duas vezes mais capacidade de propulsão do que qualquer outro foguete.

Diante da alta taxa de falhas em voos inaugurais, no entanto, o teste não tem humanos: ele leva apenas um carga experimental - um automóvel da Tesla, outra empresa de Musk, com um manequim vestido com um traje especial.

Dentro do foguete, a trilha sonora é Space Oddity, de David Bowie, que ficará tocando continuamente conforme o carro for sendo colocado em uma órbita elíptica ao redor do Sol até chegar à órbita de Marte. "Ele chegará a 400 milhões de km da Terra, viajando a 11km/s", disse Musk em uma coletiva de imprensa.

Quem é Elon Musk?

Conheça Elon Musk, o homem que quer chegar em Marte

Elon Reeve Musk é um empreendedor e filantropo de tripla nacionalidade - sul-africano-canadense-americano. Ele é o fundador da SpaceX; co-fundador da Tesla Motors; vice-presidente da OpenAI; fundador da Neuralink; e co-fundador e presidente da Solar City.

Musk é a 80° pessoa mais rica do mundo, com uma fortuna estimada em 20,8 bilhões de dólares. Ele decidiu investir esse dinheiro para lutar contra algo que lhe preocupa há anos: a extinção da humanidade. Assim, o objetivo principal de suas empresas envolve ações como a redução do aquecimento global e um projeto de colonização de Marte - que começou a ser colocado em prática na última semana.

O foguete

Conheça Elon Musk, o homem que quer chegar em Marte

O Falcon Heavy é composto basicamente por três foguetes Falcon 9. Reuni-los em um único conjunto, no entanto, exigiu uma série de alterações, como reforçar o núcleo central.

Os 27 motores Merlin em sua base devem ser capazes de gerar um impulso de 23 mil kilonewtons, pouco mais do que o dobro do que o foguete mais potente existente hoje.

O foguete foi construído para colocar, no máximo, 64 toneladas em órbita baixa, o equivalente a quatro ônibus.

A enorme propulsão do foguete cria possibilidades interessantes para a investigação interespacial, como transportar satélites bem mais pesados para uso pelas forças militares e de inteligência americanas, lançar mais satélites ao mesmo tempo e robôs maiores para explorar a superfície de Marte ou colocar em órbita telescópios de grande porte.