OUTROS

Mobilidade urbana de Maceió ainda é tema que exige debate

Autor


Aumento do número de veículos e passageiros é crescente e VLT poderia ser opção

O crescimento populacional tem trazido problemas para Maceió. Quinta maior capital do Nordeste, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade enfrenta um desafio comum entre os grandes centros brasileiros: a mobilidade urbana. Atualmente 250 mil pessoas utilizam o transporte público todos os dias e convivem com o trânsito e os ônibus lotados.

Inaugurada em 2014 pela prefeitura e sob olhares de desconfiança, a "faixa azul" surgiu como parte da solução do trânsito intenso no trecho que compreende a Avenida Tomás Espindola, no Farol, até a rotatória do antigo prédio da Polícia Rodoviária Federal. Três anos depois, apesar da melhora notável do tráfego, quem passa pela região acredita que a situação poderia ser bem melhor.

A babá Maria Caroline conta que alguns motoristas acabam utilizando o corredor exclusivo dos ônibus, inclusive, provocando lentidão. "Quem se beneficia da faixa azul percebe que o caminho se torna mais rápido por ela, porém alguns infratores fazem com que o trânsito se torne um pouco lento quando chega o horário de pico." Afirma.

Em pauta recentemente, o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e o BRT (Bus Rapid Transit), o primeiro com linhas já existentes na cidade, são opções apontadas como as mais indicadas. Um projeto até chegou à ser criado, porém esbarra em questões técnicas e financeiras para que saia do papel. A idéia presente no projeto da Secretaria de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand), é de ligar o centro da cidade ao Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, um trajeto de 20,1 km. O investimento seria de 1,5 bilhões de reais.

Nesse cenário, com a dificuldade em se obter esses recursos que partiriam do governo federal, e também do estado, a idéia continua esperando o momento de se tornar realidade. É o que explica o engenheiro de transportes, Alexandre Marques. " Existe um plano, que é o SIMM, o Sistema Integrado de Mobilidade de Maceió, que está atualmente na fase 1 e 2. A fase 3 desse plano seria justamente os projetos consolidados do VLT e do BRT na Avenida Fernandes Lima e Via Expressa, respectivamente." Conclui.