TV

7 razões para assistir a “Big Little Lies”, a grande vencedora do Emmy

Júlia Korte
Author
Júlia Korte

Porque essa série da HBO merece os prêmios e a sua atenção

7 razões para assistir a “Big Little Lies”, a grande vencedora do Emmy

Foto: reprodução/ HBO

Mesmo com tantas produções novas surgindo a cada dia, não é sempre que encontramos uma série tão digna de uma maratona quando “Big Little Lies” (HBO). Além de uma trama cheia de reviravoltas emocionantes, drama e suspense na medida, somos agraciados por atuações de alto nível.

Se você já viu as sinopses, talvez ela não tenha te chamado atenção, pois geralmente resumem a algo como: mães, mulheres ricas, crianças e assassinato. Contudo, não é nada disso e seria pedante tratar a série assim.

Confira o trailer:

Animou? Então já digo de antemão: cuidado com spoilers ou ao dar um Google sobre antes. A história é incrível e o final - que vai te deixar boquiaberto! - não merece ser arruinado antes.

A série é uma adaptação do livro homônimo de Liane Moriarty. Vencedora de 8 Emmys, o que mais chama atenção é como a obra conseguiu abordar personagens mulheres complexas - algo que, acredite ou não, ainda é raro na indústria cinematográfica e televisiva.

São apenas sete episódios e um elenco de grandes estrelas, que inclui Nicole Kidman, Reese Witherspoon, Zoë Kravitz, Shailene Woodley e Laura Dern.

Mas sem mais delongas, aí vão as razões para gastar seu próximo dia de folga ou final de semana nisso: 

1. A abordagem sobre as mulheres. As personagens não são clichês, estereótipos e também não têm a personalidade traçada por um olhar tipicamente masculino, o que traz uma nova luz à representatividade de gênero. O que é até meio patético dizer já que, na verdade, simplesmente traz mulheres (não, não somos perfeitas, não somos rasas e nem dependemos emocionalmente de uma figura do sexo masculino). Porém, há uma complexidade e profundidade ao trazer a personalidade e problemas realistas; seja pelo relacionamentos, desejo, medos a questão de sucesso e carreira, a opressão, imperfeições e por aí vai. 

2. É uma lição de sororidade. Elas não estão umas contras as outras, não é sobre rivalidade. Além do perdão e em aceitar quem nós somos, sem julgar com facilidade, de certa forma, nos diz quase como: “em um mundo de preconceitos, as mulheres devem se apoiar umas nas outras”. É também, assim, sobre encontrar conforto.    

7 razões para assistir a “Big Little Lies”, a grande vencedora do Emmy

Foto: reprodução/ HBO

3. Não tem temáticas levianas. A série traz à tona, entre outras questões, a violência doméstica de uma forma como raramente vemos na telinha. No caso, é interessante e doloroso acompanhar a personagem de Nicole Kidman, Celeste Wright, que é uma advogada que abandonou a carreira para cuidar dos filhos. Pelas aparências, ela possui uma vida invejável em sua mansão, ao lado do seu marido bonito, Perry (Alexander Skarsgård). Na realidade, ela é abusada física e sexualmente por ele. Ou seja, para quem negava esse fato, passa a mensagem clara de que a violência pode acontecer com qualquer mulher. E quanto mais conhecemos a fundo essa tóxica relação e o comportamento dele, mais temos um retrato sobre o ciclo de violência doméstica e todas as questões e implicações disso na vida da mulher e da família como um todo. Mesmo que ela seja privilegiada na ficção, essa é uma triste realidade que existe na nossa sociedade em todas as classes. 

7 razões para assistir a “Big Little Lies”, a grande vencedora do Emmy

Foto: reprodução/ HBO

4. A trama prova que o julgamento da sociedade não reflete a realidade dos indivíduos. A narrativa tem muitos flashbacks após um assassinato (isso não é spoiler!). Muitas pessoas são interrogadas sobre a vida desse grupo de mulheres, mas a verdade é que ninguém sabia realmente como era a vida delas. Nem os conflitos, intrigas ou sentimentos. Isso é curioso porque desperta cada mais interesse e demonstra que aparências enganam. 

5. O elenco de peso e impecável, incluindo as crianças. Todas as protagonistas femininas ganhando o reconhecimento foi um espetáculo à parte. Além do “time Oscar” que está no elenco, as crianças são fofas e talentosas. Tanto é que Iain Armitage, que faz um dos personagens, irá interpretar agora no spin-off de “The Big Bang Theory”, “Young Sheldon”. 

7 razões para assistir a “Big Little Lies”, a grande vencedora do Emmy

Foto: reprodução/ HBO

6. A duração na medida. São apenas 7 episódios, não aquela coisa cansativa e que se prolonga muito, como vemos em algumas séries que tem 24 episódios por temporada. É uma história com começo, meio e fim. Você até fica com vontade de ver mais (e rolam negociações para isso), mas você sabe o que aconteceu, como num livro.

7. Uma trilha sonora para colocar no repeat depois. De clássicos de Elvis Presley até Alabama Shakes, é impossível não se emocionar ou reparar o quanto a melodia faz parte. É uma curadoria sensível. Curiosamente, no programa, uma das crianças, Chlor Mackenzie (Darby Camp) é uma menina de gosto musical impecável, algo que até define sua personagem, já que está sempre com telefone na mão para criar playlists do momento. Em sua homenagem, fizeram até playlist no Spotify. Você pode conferir aqui

Não perca mais tempo e corre lá! A série está disponível para assinantes HBO nos serviços on demand do canal e no Now da NET.